Furacão Florence é rebaixado para categoria 3, mas segue perigoso

Tempestade pode atingir costa leste dos Estados Unidos nesta quinta (13) ou sexta-feira

O furacão Florence visto da Estação Espacial Internacional nesta quarta-feira (12)
O furacão Florence visto da Estação Espacial Internacional nesta quarta-feira (12) - Alexander Gerst/Nasa/AFP
Júlia Zaremba
Washington

O furacão Florence, que deve atingir a costa dos Estados Unidos no fim da semana, foi rebaixado para a categoria 3 (em uma escala de 5) na tarde desta quarta (12), com redução da velocidade dos ventos de 205 km/h para 195 km/h. No dia anterior, foi registrada uma máxima de 209 km/h.

Mas a tempestade aumentou de tamanho, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), o que poderia causar chuvas e inundações em áreas maiores de terra na região leste do país. 

“Esse é um dos fatores que tornam o furacão tão devastador, diz Bill Read, ex-diretor do NHC. “Não gosto de usar termos dramáticos, mas certamente será um furacão histórico.”

Segundo ele, geralmente os furacões que ocorrem naquela região se movem do sul para o norte com facilidade. “É muito incomum que entrem e permaneçam ao longo da costa”, diz. “Mas a alta pressão atmosférica do norte está impedindo a movimentação.” 

O Serviço Nacional de Meteorologia na cidade de Wilmington, na Carolina do Norte, afirmou que provavelmente será uma das piores tempestades da região. “E isso quer dizer muita coisa, levando em conta os impactos que vimos dos furacões Diana, Hugo, Fran, Bonnie, Floyd e Matthew”, escreveram, referindo-se a outras tempestades que atingiram a costa leste.

O último boletim divulgado pelo NHC, às 18h de Brasília, informou que o olho do furacão passaria sobre o Oceano Atlântico entre as ilhas Bermudas e as Bahamas na noite desta quarta e que chegaria à costa da Carolina do Norte e do Sul entre hoje (13) e sexta (14). O centro meteorológico descreve o furacão como “extremamente perigoso”.

Os dois estados americanos declararam estado de emergência, assim como Geórgia, Virgínia, Maryland e o Distrito de Colúmbia, onde fica a capital, Washington. Mais de 1,5 milhão de pessoas já tiveram que sair de suas casas por causa dos riscos de enchentes e de fortes ventos.

“Carolina do Norte, minha mensagem é clara”, disse Roy Cooper, governador da Carolina do Norte, nesta quarta. “O desastre está na porta e entrando.”

O presidente americano Donald Trump escreveu em uma rede social durante a tarde que “é imperativo que todos sigam as ordens de evacuação locais”. “Essa tempestade é extremamente perigosa. Esteja a salvo!”, disse.

Mais cedo, o republicano disse que o governo está “preparado para enfrentar o grande furacão” que está vindo. Também disse que ganharam “nota máxima” pelos recentes trabalhos no Texas, na Flórida e em Porto Rico, vítimas de tempestades recentemente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.