Descrição de chapéu Governo Trump

Com um papel, Trump pediu a Kim para abrir mão de todo o seu arsenal nuclear, diz agência

Encontro entre os líderes terminou de forma abrupta no fim de fevereiro

O ditador Kim Jong-un, à esq., e o presidente Donald Trump nos jardins de hotel em Hanói, Vietnã
O ditador Kim Jong-un, à esq., e o presidente Donald Trump nos jardins de hotel em Hanói, Vietnã - 28.fev.2019/KCNA/AFP
Washington | Reuters

No dia em que as negociações entre EUA e Coreia do Norte entraram em colapso no mês passado, o presidente Donald Trump entregou ao ditador Kim Jong-un um papel que incluía um pedido contundente para a transferência das armas e combustíveis nucleares para os Estados Unidos, de acordo com um documento visto pela agência Reuters.

Trump repassou a Kim a posição dos EUA, escrita em inglês e em coreano, no hotel Hanoi's Metropole, em 28 de fevereiro, segundo uma pessoa próxima às negociações, que falou em condição de anonimato.

Foi a primeira vez em que Trump definiu explicitamente o que ele considerava uma desnuclearização diretamente para Kim, segundo essa pessoa.

Um almoço dos dois líderes foi cancelado naquele mesmo dia. Nenhum dos lados explicou a razão pela qual o encontro terminou repentinamente. O documento pode ajudar a explicar isso.

O material indica uma tentativa de usar o chamado "modelo líbio" de desnuclearização, que a Coreia do Norte rejeitou diversas vezes. Ele pode ter sido visto por Kim como um insulto, segundo analistas. O governo dos EUA não quis comentar o caso. 

Sete anos após Estados Unidos e Líbia chegarem a um acordo de desnuclearização, o ditador líbio Muammar Gaddafi foi alvo de uma operação dos EUA e da Otan contra seu governo. Gaddafi acabou capturado por rebeldes e morto.

Trump havia dito em outras ocasiões que o modelo da Líbia seria usado apenas se não houvesse chance de obter um acordo.

A ideia da Coreia do Norte abrir mão de suas armas foi proposta por John Bolton, conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, pela primeira vez em 2004. Ele retomou a proposta no ano passado, ao ser nomeado por Trump.

Depois da reunião, um funcionário da Coreia do Norte acusou Bolton e o secretário de Estado, Mike Pompeo, de fazer demandas "estilo gângster", e disse que Pyongyang estava considerando suspender as conversas com os EUA e rever o fim de testes com mísseis e artefatos nucleares.

A versão em inglês do documento, vista pela Reuters, pede pelo "desmantelamento completo da estrutura nuclear e do programa de armas químicas e biológicas da Coreia do Norte, de mísseis balísticos, lançadores e instalações associadas".

Além da demanda de que a Coreia do Norte enviasse suas armas nucleares para os EUA, o documento tinha outros quatro pontos: determinava que o país fornecesse uma relação completa de seu programa nuclear, fornecesse acesso completo a inspetores internacionais, suspendesse todas as atividades de construção de novas instalações e transferisse todos os cientistas nucleares para atividades comerciais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.