Homem-bomba fez fila em bufê antes de se explodir, diz gerente de hotel

Segundo funcionário Cinnamon Grand Hotel, suicida se registrou na véspera como hóspede

Colombo

Um homem-bomba esperou pacientemente na fila do bufê de café da manhã do Cinnamon Grand Hotel, em Colombo, no Sri Lanka, antes de se explodir, informou um gerente.

Segundo o gerente, que manteve a anonimato, o homem se registrou na véspera como hóspede como  Mohamed Azzam Mohamed. Ele carregava um prato e estava prestes a se servir quando houve a detonação

"Foi um caos total", afirmou o funcionário. "Era 8h30 e estava cheio. Eram famílias."

"Um dos nossos funcionários, que recebia os hóspedes, foi um dos mortos."

O suicida, original de Sri Lanka, deu um endereço falso ao fazer o check-in e disse que estava na cidade a negócios, afirmou outro funcionário.

Dois outros hotéis da cidade,  o Shangri-La e o Kingsbury, foram atingidos por explosões mais ou menos na mesma hora, assim como três igrejas católicas, deixando duas centenas de mortos e mais de 400 feridos. 

Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques. O hotel fica próximo à residência oficial do primeiro-ministro.

Em nota, o hotel Shangri-la afirmou que a explosão ocorreu aproximadamente às 9h locais no restaurante Table One. 

"Estamos profundamente entristecidos e chocados pelo incidente e nossos pensamentos e orações estão com os familiares das vítimas e aqueles afetados", afirmou a nota. 

"Nossa prioridade imediata é preservar a segurança e bem-estar de todos os envolvidos. Uma equipe de crise foi ativada para providenciar todo o apoio necessário."

Outro dos hotéis mais caros de Colombo, o Kingsbury fica próximo ao World Trade Center. Em nota, o hotel disse que "compartilha do choque, da dor e do luto de toda a nossa nação".

O hotel disse ainda que foi "isolado" para checagens de segurança​.

AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.