Descrição de chapéu The New York Times

Adiamento pode tirar rosto de ex-escrava de nota de US$ 20

Cédula deve ficar pronta só após fim do governo Trump, mesmo se ele for reeleito

Allen Rappeport
Washington | The New York Times

O trabalho de criação da nova cédula de US$ 20 com a imagem de Harriet Tubman já estava adiantado quando, no mês passado, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, anunciou que a criação da nova nota seria adiada em seis anos por motivos técnicos e que a nova cédula talvez não trouxesse a a imagem da abolicionista ex-escrava.

Muitos americanos estão profundamente decepcionados com o atraso da cédula, que seria a primeira a trazer o rosto de um afro-americano. Com o adiamento, a cédula só ficará pronta após a Presidência de Donald Trump, mesmo que ele venha a ser reeleito.

Esse fato levou a especulações sobre uma possível intervenção do presidente americano para conservar seu presidente favorito, Andrew Jackson, na frente da cédula.

In a photo from the Library of Congress, Harriet Tubman, the abolitionist hero, circa 1860 to 1875. Plans to unveil the $20 Tubman bill in 2020, an Obama administration initiative, would be postponed until at least 2026, Treasury Secretary Steven Mnuchin said, and the bill itself would not likely be in circulation until 2028. (H. B. Lindsley/Library of Congress via The New York Times) -- FOR EDITORIAL USE ONLY --
A líder abolicionista Harriet Tubman, entre 1860 e 1875 - H. B. Lindsley/Library of Congress/The New York Times

Mas Mnuchin, em depoimento ao Congresso, disse que novos aspectos de segurança da cédula impossibilitaram o cumprimento do prazo de 2020 determinado pela administração Obama, razão pela qual ele deixou o destino de Tubman nas mãos de um futuro secretário do Tesouro.

Na realidade, o trabalho sobre a nova cédula de US$ 20 começou antes de Trump chegar ao poder, e o design básico que já existe no papel provavelmente poderia ter permitido alcançar a meta do lançamento da cédula com a imagem de Tubman no centenário da 19ª emenda constitucional (que deu o direito de voto às mulheres), em 2020.

Uma imagem da nova cédula produzida pelo Escritório de Gravura e Impressão e obtida pelo The New York Times de um ex-funcionário do Departamento do Tesouro mostra Tubman de casaco escuro com gola larga e com um lenço branco no pescoço.

Esse design preliminar ficou pronto em 2016.

Uma representante do Escritório de Gravura, Lydia Washington, confirmou que projeções preliminares da cédula foram criadas como parte da pesquisa realizada depois de Jacob J. Lew, o último secretário do Tesouro do presidente Barack Obama, ter proposto a ideia de uma cédula com a imagem de Tubman.

O desenvolvimento da cédula não ficou apenas nisso. Um funcionário atual do sscritório, que pediu para não ser identificado devido ao caráter delicado do assunto, viu pessoalmente uma gravura metálica e uma imagem digital de uma cédula de US$ 20 com Tubman na frente quando ela estava sendo revista por gravuristas e funcionários do Serviço Secreto em maio de 2018.

Essa pessoa disse que o design parecia estar em uma fase adiantada do processo.

Dentro do escritório, disse essa pessoa, o clima era de entusiasmo e orgulho da nova cédula de US$ 20.

Mas o Departamento do Tesouro, que é responsável pelo escritório, decidiu que a nova cédula não será lançada em 2020.

Antigos e atuais funcionários do departamento disseram que Mnuchin optou por adiar a nova cédula para evitar a possibilidade de Trump cancelar o plano por completo, desse modo criando ainda mais controvérsia.

Em entrevista na semana passada, Mnuchin negou que as razões do atraso sejam de qualquer natureza que não seja técnica.

“Essa especulação de que nós próprios atrasamos o processo simplesmente não tem base”, disse Mnuchin, falando nos bastidores da reunião de ministros da área financeira do G20 realizada no Japão.

Mnuchin reiterou que a introdução de uma nova cédula é motivada pela inclusão de elementos de segurança. Ele rejeitou a ideia de qualquer interferência política no processo e se negou a responder se acredita que seu predecessor procurou politizar a cédula.

“Há um grupo de especialistas de diversas agências do governo que estão trabalhando sobre isso, incluindo o Serviço Secreto, o escritório de gravuras e outros”, disse. “Eles estão trabalhando com a maior agilidade possível.

Monica Crowley, porta-voz de Mnuchin, disse que o lançamento da cédula de US$ 20 ainda está previsto para ocorrer dentro do prazo original de 2030. Mas ela não informou se a nova cédula terá a imagem de Tubman.

Algumas pessoas com conhecimento do assunto acharam curioso que os elementos de segurança de uma nova cédula estariam sendo criados antes das imagens que vão figurar nela.

Larry E. Rolufs, ex-diretor do Escritório de Gravura e Impressão, disse que os elementos de segurança de uma nova cédula são embutidos nas imagens, de modo que normalmente seriam criados simultaneamente a elas.

“As duas coisas podem ser feitas ao mesmo tempo, para que funcionem juntas”, disse Rolufs, que encabeçou o escritório de 1995 a 1997.

O processo de criação de cédulas americanas é altamente trabalhoso, realizado por gravuristas que passam dez anos treinando como aprendizes.

Pessoas familiarizadas com o processo dizem que os gravuristas passam meses trabalhando literalmente de cabeça para baixo e voltados para trás para gravar os retratos de figuras históricas sobre chapas de aço que mais adiante serão usadas para criar cédulas.

Muitas vezes, vários gravuristas tentam criar versões diferentes dos retratos, geralmente baseados em pinturas ou fotos, e no final o secretário do Tesouro escolhe qual gravura vai aparecer na cédula.

Rolufs disse que, devido à complexidade da criação de uma nova cédula, a ideia de circular uma nova nota até 2020 é ambiciosa. Ele reconheceu também que fazer grandes modificações nas cédulas constitui um convite a reações contrárias.

“É preciso coragem política do secretário para mudar o design das cédulas”, comentou. “O povo americano não gosta de ver alguém mexer com sua moeda.”

Quando era candidato presidencial, Trump qualificou a decisão de substituir a imagem de Andrew Jackson, que foi dono de escravos, pela de Harriet Tubman como “pura correção política”.

Uma revisão feita do site do Departamento do Tesouro depois de Trump assumir o poder eliminou qualquer sinal dos planos da administração Obama de mudar a cédula, assinalando que o plano poderia ser suspenso.

Tradução de Clara Allain 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.