Ilha norueguesa quer virar uma zona livre de tempo

Moradores de Sommaroy querem abandonar as medições convencionais de horas

São Paulo

A pequena ilha norueguesa de Sommaroy, ao norte do Círculo Polar Ártico, está debatendo se livrar do tempo.

A ideia é que os cerca de 300 habitantes do local —onde o sol não se põe no período entre 18 de maio e 26 de julho—  não precisem se ater às medições convencionais de horas do dia e da noite, e tenham flexibilidade para estabelecer horários de suas atividades de trabalho e estudo, por exemplo.

“Temos luz do dia constantemente, e agimos de acordo com essas circunstâncias”, disse em comunicado à rede CNN o morador Kjell Ove Hveding, que lidera o movimento pelo fim da contagem do tempo.

Ponte com de relógios de pulso em Sommarøy, Noruega
Ponte na ilha Sommaroy, na Noruega, é enfeitada com relógios de pulso - Goran Mikkelsen no Facebook

“No meio da noite, no que pode ser chamado de 2h da manhã, é possível ver crianças jogando bola, pessoas pintando suas casas ou cortando a grama do quintal e adolescentes indo nadar”, afirmou.

No último dia 13, ele se reuniu com um membro do parlamento norueguês para entregar uma petição para declarar a ilha uma “zona livre de tempo” e discutir a viabilidade prática e legal da proposta, relatou a CNN.

“Para muitos de nós, oficializar isso seria uma maneira de formalizar uma prática que já temos há gerações”, disse Hveding.

A população espera que assim possa aproveitar melhor os dias de sol, já que, durante um período entre novembro e janeiro, a ilha fica na escuridão.

“Por que precisamos de tempo e relógios quando não anoitece?”, questiona a página do movimento “Time-Free Zone” no Facebook. “Por que não nos desligamos do tempo, jogamos todos os relógios fora e nos esquecemos deles? A vida seria muito mais fácil.”

Qualquer visitante que chega à Sommaroy, cujas principais atividades são a pesca e o turismo, já pode ter um indício da relação curiosa que seus moradores possuem com o tempo —a ponte que dá acesso à ilha é enfeitada não com cadeados, mas relógios de pulso. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.