Descrição de chapéu Governo Trump

EUA divulgam vídeo de operação que matou o líder do Estado Islâmico

Pentágono alertou para risco de grupo terrorista atacar em retaliação

Washington | Reuters

O Pentágono divulgou nesta quarta-feira (30) as primeiras imagens da operação militar na Síria que levou à morte do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, na semana passada.

O ministério alertou para o risco de o grupo terrorista realizar um ataque aos EUA em retaliação.

As imagens aéreas em preto e branco mostram membros das forças de operações especiais se aproximando do complexo onde Baghdadi estava escondido enquanto aeronaves dos EUA atiravam em militantes próximos ao local. 

Em um dos vídeos, é possível ver uma densa coluna de fumaça preta subindo após bombas lançadas pelos americanos atingirem as instalações.

Segundo o comandante do Comando Central dos EUA, o general Kenneth McKenzie, a destruição do complexo ocorreu em parte "para evitar que ele não se tornasse um monumento à memória [do terrorista]".  "É só mais um pedaço de terra", disse.

Baghdadi morreu ao detonar um colete-bomba quando se viu encurralado em um túnel pelas forças especiais dos EUA. Nascido no Iraque, o jihadista saiu da obscuridade para se declarar califa de todos os muçulmanos como líder do grupo terrorista Estado Islâmico.

imagem aérea de baixa qualidade em preto e branco mostra espécie de casa no meio do deserto cercada por muros
O complexo onde Abu Bakr al-Baghdadi foi visto momentos antes de um ataque aéreo à região de Idlib, na Síria - Departamento de Defesa dos EUA - 26.out.2019/Reuters

McKenzie afirmou que Baghdadi levou duas, e não três crianças ao túnel. Ambas teriam menos de 12 anos e morreram na explosão. 

O general afirmou que o ministério de Defesa dos EUA suspeita que o grupo realize um ataque aos EUA em retaliação. "Estamos preparados para isso", disse.

Ao anunciar o sucesso da operação, o presidente americano, Donald Trump, afirmou que Baghdadi "morreu como um covarde, chorando e gritando".

Quando questionado sobre a descrição feita pelo republicano, McKenzie disse que não poderia confirmar nada além das informações que já tinham sido divulgadas.

"Sobre os últimos momentos dele, posso dizer isto: ele entrou em um buraco com duas crianças pequenas e se explodiu. [...] Você pode ter uma ideia do tipo de pessoa que ele era com base nessas ações." 

O general afirmou que as forças americanas apreenderam uma quantidade significativa de informações de inteligência sobre as atividades do Estado Islâmico durante a operação.

Sobre o momento escolhido para o ataque, o oficial americano disse que a invasão da Turquia na Síria neste mês, ocorrida após a retirada da maior parte das tropas dos EUA, não influenciou a decisão.

"Atacamos porque naquele momento parecia a hora certa, considerando o conjunto de informações de inteligência e outros fatores que afetariam a chegada e a saída dos membros da operação."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.