Vulcão entra em atividade nas Filipinas e expulsa 8.000 moradores

Especialistas apontam risco de erupção nas próximas horas ou dias

Manila

Um vulcão perto de Manila, nas Filipinas, expeliu uma enorme massa de cinzas neste domingo (12) e acendeu o alerta de uma possível erupção. Cerca de 8.000 moradores foram obrigados a deixar suas casas, e voos foram cancelados.

Segundo os sismólogos filipinos, que registraram movimentos de lava no vulcão Taal (atração turística no centro de um lago a 65 km ao sul da capital), uma erupção pode ocorrer nas próximas horas ou dias. O nível de alerta é de 4 (numa escala que vai até 5). 

De acordo com especialistas, há risco também de a erupção causar um tsunami no lago. 

Turistas fotografam nuvem de fumaça expelida pelo vulcão Taal
Turistas fotografam nuvem de fumaça expelida pelo vulcão Taal - Bullit Marquez/AFP

As cinzas do vulcão chegaram à capital e a outras cidades da região, que tiveram aulas suspensas e serviços públicos cancelados. 

Por conta dos riscos de agravamento de problemas respiratórios, as pessoas foram orientadas a ficar dentro de casa e usar máscaras se precisassem ir à ruas.

As autoridades filipinas da aviação ordenaram a suspensão de 172 voos chegando e saindo do aeroporto internacional quando a nuvem de cinzas atingiu 15 km de altura e tremores foram sentidos no chão.

O Taal é um dos menores vulcões ativos no mundo, mas é considerado perigoso. "Ele é único porque é um vulcão dentro de um vulcão", disse Renato Solidum, chefe do instituto filipino de vulcanologia e sismologia.

O vulcão entrou em erupção mais de 30 vezes nos últimos 500 anos. Em 1911, 1.500 pessoas morreram num desses eventos.

As Filipinas integram o chamado "Círculo de Fogo", um arco com intensa atividade sísmica que se estende do Japão ao sudeste asiático através do Oceano Pacífico.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.