'Não me conformo com a minha situação', diz Lula em carta a petistas

Texto foi enviado a militantes que participam do lançamento da pré-candidatura do petista

Catia Seabra Carolina Linhares
Contagem (MG)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou aos petistas um manifesto, em que se diz injustiçado e inconformado com a crise enfrentada pelo país. 

A mensagem foi lida por Dilma Rousseff aos cerca de 2.000 militantes que participam de ato de lançamento de sua pré-candidatura nesta sexta (8) em Contagem (MG). No texto, Lula afirma ainda que levará sua campanha às últimas consequências e que não governará para o mercado.

“Não posso me conformar com o sofrimento dos mais pobres e o castigo que está se abatendo sobre a nossa classe trabalhadora, assim como não me conformo com minha situação”, escreveu o ex-presidente.

No texto, Lula diz acompanhar da cela os desafios enfrentados pelo brasileiro. E se apresenta como o candidato da esperança.

“Tive muitas candidaturas em minha trajetória, mas esta é diferente: é o compromisso da minha vida. Quem teve o privilégio de ver o Brasil avançar em benefício dos mais pobres, depois de séculos de exclusão e abandono, não pode se omitir na hora mais difícil para a nossa gente”, afirmou o petista. 

Ele acrescentou: “Sei que minha candidatura representa a esperança, e vamos levá-la até as últimas consequências, porque temos ao nosso lado a força do povo”.

Na carta, Lula também enviou um recado aos demais partidos de esquerda. Nela, o ex-presidente afirma que é necessário unir forças, mas respeitando a autonomia dos partidos e movimentos sociais. “Tenho certeza de que estaremos juntos ao final da caminhada”, afirmou.

O ex-presidente escreveu também que mantém a pré-candidatura por acreditar na Justiça Eleitoral.

"Sou candidato porque acredito, sinceramente, que a Justiça Eleitoral manterá a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir meu direito e o direito dos eleitores de votar em quem melhor os representa.”

A ex-presidente Dilma Rousseff participa de lançamento de programa de mulheres do PT em hotel em Contagem, onde à noite a pré-candidatura de Lula será lançada
A ex-presidente Dilma Rousseff participa de lançamento de programa de mulheres do PT em hotel em Contagem, onde à noite a pré-candidatura de Lula será lançada - Carolina Linhares/Folhapress

Na carta, Lula disse que lutará contra privatizações e que a Petrobras tem que voltar ser brasileira: “Governamos para o povo e não para o mercado. É o contrário do que faz o governo dos nossos adversários, a serviço dos financistas e das multinacionais, que suprimiu direitos históricos dos trabalhadores, reduziu o salário real, cortou os investimentos em saúde e educação”.

Segundo ele, a Petrobras não foi criada para gerar ganhos para os especuladores de Wall Street, em Nova Iorque, mas para garantir a autossuficiência de petróleo no Brasil, a preços compatíveis com a economia popular.

“Podem estar certos que nós vamos acabar com essa história de vender seus ativos. Ela não será mais refém das multinacionais do petróleo."

O petista também afirmou que se opõe à privatização de outras estatais, como Eletrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica.

Videoconferência

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) orientou seus advogados a reivindicar na Justiça o direito de participar de campanha de dentro da sala em que está preso na superintendência da Polícia Federal após  condenação na Operação Lava Jato.

Segundo petistas, o ex-presidente pretende participar de debates e conceder entrevistas, por intermédio de videoconferência, nos moldes do depoimento prestado na terça-feira (5) ao juiz federal Marcelo Bretas.

Na ocasião, Lula depôs como testemunha de defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) na ação penal que apura suposto pagamento de propina a membros do COI (Comitê Olímpico Internacional) para a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016. 

O ex-presidente também pretende ter autorização para gravar mensagens para exibição nos programas eleitorais do PT.

O argumento é o de que, do ponto de vista legal, Lula ainda tem direito de registrar a candidatura.

Em seus discursos, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), tem repetido que Lula está em pleno gozo de seus direitos políticos.

Ao discursar na noite de sexta-feira (8), durante o lançamento da pré-candidatura de Lula em Contagem (MG), o ex-ministro Jaques Wagner disse que o partido lutará para possibilitar a presença do ex-presidente na disputa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.