Descrição de chapéu Eleições 2018

PT e PDT estarão juntos no segundo turno, diz Haddad em Santa Catarina

Petista e Ciro estão tecnicamente empatados em segundo lugar, segundo o último Datafolha

César Rosati
Florianópolis

Em visita a Santa Catarina nesta terça-feira (18), o presidenciável Fernando Haddad (PT) diz apostar em um segundo turno tendo como aliado Ciro Gomes (PDT).

"PT e PDT estarão juntos no segundo turno. Tenho certeza disso", afirmou. "Os programas de governos são compatíveis. Não são iguais, até porque são duas chapas concorrentes, mas completamente equivalentes e compatíveis".

Líder nas pesquisas eleitorais, o rival Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 26% das intenções de voto, segundo última pesquisa Datafolha, da sexta-feira (14). Estão numericamente empatados Haddad, com 13%, e Ciro, com mesmo percentual. Geraldo Alckmin (PSDB) registrou 9% e Marina Silva (Rede), 8%.

O presidenciável Fernando Haddad (PT), que aposta em uma disputa com Ciro Gomes (PDT) no segundo turno
O presidenciável Fernando Haddad (PT), que aposta em uma disputa com Ciro Gomes (PDT) no segundo turno - Rodolfo Buhrer - 17.set.2018/Reuters

Haddad também disse concordar com a segurança da urna eletrônica, defendida pelo novo presidente do STF, Dias Toffoli, e fez crítica ao rival. "Endosso o que disse o ministro Dias Toffolli que as urnas são totalmente seguras. Bolsonaro se elegeu sete vezes e não questionou isso".

Em entrevista na sede do PT em Florianópolis. Haddad foi enfático de que a sua principal plataforma de governo é enfrentar o cartel dos bancos. "É necessário equilibrar a balança de juros cobrados e os lucros destas instituições". 

O candidato ainda disse que irá enfrentar o cartel da mídia e disse que se for presidente vai regulamentar, por meio de lei, o livre exercício que as as agências internacionais e demais sites que não pertencem a brasileiros natos exercem no pais.  

A vice de chapa, Manuela D'Ávila (PC do B), criticou a declaração do general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), vice de Bolsonaro, de que lares só com 'mãe e avó' são 'fábrica de desajustados' para o tráfico. "Desconhecer ou agredir as mulheres que chefiam 40% dos lares do país é não compreender que a valorização dessas mulheres faz parte da mudança do nosso país". 

Depois da entrevista, Haddad seguiu para ato em frente à Catedral Metropolitana, no centro. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.