Descrição de chapéu Eleições 2018

Bolsonaro coloca críticas de Cid Gomes ao PT em programa eleitoral

Irmão de Ciro Gomes fala a verdade que o PT não aceita, diz o locutor na abertura do programa

São Paulo e Brasília

O programa do candidato Jair Bolsonaro (PSL) que vai ao ar na noite desta terça-feira (16) vai explorar a fala de Cid Gomes, irmão do candidato derrotado Ciro Gomes (PDT).

O ex-governador do Ceará Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, que fez críticas ao PT
O ex-governador do Ceará Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, que fez críticas ao PT - Patricia Stavis - 20.jun.18/Folhapress

"Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, fala a verdade que o PT não aceita", diz o locutor na abertura do programa, exibindo em seguida o filme em que o pedetista faz uma saraivada de críticas ao partido de Lula.

As imagens mostram Cid discursando em um evento em que supostamente apoiaria a candidatura de Fernando Haddad à Presidência: "Tem que pedir desculpas, tem que ter humildade, tem que ter humildade e reconhecer que fizeram muita besteira", disparou ele logo no começo de seu discurso.

As imagens que serão veiculadas por Bolsonaro mostram ainda a cena em que, diante da reação negativa da plateia, Cid insiste: "É assim? Pois tu vai perder a eleição. Não admitir os erros que cometeram, isso é para perder a eleição e é bem feito. É bem feito perder a eleição".

"Vão perder feio, porque fizeram muita besteira, porque aparelharam as repartições públicas, porque acharam que eram donos de um país e o Brasil não aceita ter dono, é um país democrático", diz o irmão de Ciro Gomes.

Quando os petistas começam a gritar o nome de Lula, ele completa: "O Lula está preso, babaca. O Lula está preso. E vai fazer o que? Isso é o PT, e o PT desse jeito merece perder. Babaca, vai perder a eleição".

O locutor então diz: "Nessa eleição, é o Brasil contra o PT".

A fala do pedetista ocupa 1 minuto e 40 segundos do programa, que tem um total de 5 minutos e vai ao ar na noite desta terça.

Após a exibição da fala de Cid, o programa afirma que a rejeição de Haddad não para de crescer, "porque nessa eleição é o Brasil contra o PT".

Diferentemente do que a campanha de Bolsonaro vinha fazendo em programas anteriores, desta vez, o programa exibe mais detalhes do programa de governo.

"O verdadeiro debate que importa ao país são os planos de governo", diz a apresentadora, ao dar início à comparação de vários pontos propostos pelos dois candidatos que disputam o segundo turno.

São exploradas medidas como criação de impostos, aspectos ligados à segurança pública e valores morais.

Bolsonaro é apresentado como um candidato que defende a família, que vai liberar a posse de arma, enquanto Haddad quer desmilitarizar a polícia e defende desencarceramento para pequenos delitos.

O candidato só aparece mais ao fim do programa.

"Para nós atingirmos um objetivo, temos que dar o primeiro passo", afirmou.

O vídeo é encerrado com uma afirmação de que o PT ainda não percebeu que o país mudou.

"O povo não quer mais saber de propostas que nunca são cumpridas, como que Haddad fez em São Paulo e volta a fazer ao Brasil."

"Procurado, Cid disse que não autorizou o uso de sua imagem e que examina medidas judiciais cabíveis contra a inclusão de sua imagem em vídeo da campanha eleitoral.

"Não autorizei ninguém, muito menos o Bolsonaro, a usar a minha imagem. Eu examinarei medidas judiciais pela exclusão de minha imagem", disse à Folha.

Mônica Bergamo , Talita Fernandes e Gustavo Uribe
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.