Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

'Menino veste azul e menina veste rosa', diz Damares Alves

Na posse, ela já havia afirmado que 'menina será princesa e menino será príncipe'

São Paulo

A ministra Damares Alves, da nova pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos, apareceu em vídeo em que comemora uma "nova era no Brasil" e em que afirma "menino veste azul e menina veste rosa".

Damares, que é advogada e pastora evangélica, repete a frase em coro com alguns apoiadores e é aplaudida pelo grupo. As imagens foram feitas na quarta-feira (2), dia em que ela participou de cerimônia de transmissão do cargo. "Atenção, atenção. É uma nova era no Brasil. Menino veste azul e menina veste rosa."

A declaração despertou polêmica e gerou repercussão ao longo desta quinta (3).

Celebridades, como o apresentador Luciano Huck, ironizaram o vídeo da ministra em postagens em redes sociais. Em seu perfil, a marca de chicletes Trident publicou imagens de seus produtos nas duas cores com a inscrição: "Você escolhe e Trident apoia a sua liberdade".

 

Em entrevista para a GloboNews na noite desta quinta, Damares afirmou que a declaração registrada no vídeo era uma metáfora e que não se arrepende do que disse.

"Temos o outubro rosa, o novembro azul. Vamos estar respeitando a identidade biológica das crianças. E digo mais, podemos chamar menina de princesa e menino de príncipe no Brasil e não há confusão nisso", afirmou.

Damares disse na entrevista também que há "teólogos de gênero" que defendem que a criança nasce neutra e depois escolhe o que ela quer, e pede que esse debate fique restrito ao setor acadêmico. "Não queremos impor nada. Vamos deixar as crianças em paz. Querem discutir isso [ideologia de gênero]? Que seja feito nas academias, não nas escolas, para crianças na tenra idade."

Ela também comentou declaração que deu na quarta-feira, quando disse que o Estado é laico, mas ela é "terrivelmente cristã".

"Estão com medo de uma pastora ministra de Direitos Humanos. A partir do momento que entro no ministério, não posso arrancar de mim a minha fé. Foi isso o que quis dizer, não estou querendo impor nenhuma religião. Ninguém vai ser preterido."

Ao ser questionada sobre configurações de família que considera válidas, Damares afirmou que o governo Jair Bolsonaro não vai acabar com direitos adquiridos, como o de casais homossexuais de poderem adotar filhos.

A transmissão de cargo na quarta-feira ocorreu em auditório lotado por ativistas que gritavam "aleluia" e "glória a Deus". Damares tomou posse e fez um discurso emocionado em que disse que não haverá mais "doutrinação ideológica" de crianças e adolescentes.

Na cerimônia, a ministra abordou outro assunto polêmico, que foi levantado desde a sua nomeação. Ela falou sofreu o abuso que sofreu na infância e a ocasião em que diz ter visto Jesus ao subir numa goiabeira.

Damares reclamou de "alguns jornalistas" e disse que foi desrespeitada. "Minha crença virou chacota e também motivo de risadas."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.