Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Mourão diz que presença de Lula em velório de irmão é 'questão humanitária'

Presidente interino diz não ver problema em uma autorização da Justiça para que o petista participe da cerimônia

Gustavo Uribe
Brasília

O presidente interino, Hamilton Mourão, disse se tratar de uma "questão humanitária" a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no velório de seu irmão, morto nesta terça-feira (29).

Ele lembrou que também perdeu um irmão no passado e que não considera haver problema em uma eventual autorização do Poder Judiciário para que o petista participe da cerimônia fúnebre.

"É uma questão humanitária. Perder um irmão é sempre uma coisa triste. Eu já perdi o meu e sei como é que é", disse. "Eu acho que se a Justiça considerar que está ok, não vejo problema nenhum", acrescentou.

Genivaldo Inácio da Silva, um dos irmãos mais próximos de Lula, morreu com câncer de pulmão aos 79 anos, em São Paulo, onde estava internado em um hospital desde a semana passada.

Dois pedidos de habeas corpus no TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região no final da tarde desta terça-feira (29) reforçaram a solicitação para a saída temporária do ex-presidente.

Os advogados dele ressaltam que o artigo 120 da Lei de Execução Penal permite a presença do petista. No ano passado, foi negada autorização a Lula para participar do enterro do advogado Sigmaringa Seixas.

A Polícia Federal em Curitiba rejeitou, na noite desta terça, o pedido para que o ex-presidente Lula saísse da prisão temporariamente ​para ir ao funeral. Segundo a PF, a medida é “pouco recomendável”, “tomando-se por base única e principalmente o resguardo da incolumidade física do custodiado e da ordem pública”.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.