Demitido, general divulga carta e deseja sucesso a 'Bolsonaro e seus familiares'

Criticado por filhos do presidente, Santos Cruz também fez agradecimentos a Legislativo e Judiciário

Talita Fernandes
Brasília

Demitido nesta quinta-feira (13) do cargo de ministro da Secretaria de Governo, o general Carlos Alberto dos Santos Cruz divulgou uma carta na qual diz deixar o posto "por decisão do excelentíssimo presidente Jair Messias Bolsonaro".

No texto, o general faz uma série de agradecimentos que vão desde servidores da pasta até representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário.

A Bolsonaro "e seus familiares", o agora ex-ministro dirigiu o desejo de "saúde, felicidade e sucesso".

Desde que chegou ao Planalto, em janeiro, Santos Cruz havia se envolvido em seguidas crises com os filhos do presidente, além de um embate com o escritor Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro. 

Responsável por dividir a articulação com política com Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Santos Cruz fez acenos ao Congresso, chamando deputados e senadores de "digníssimos representantes do povo brasileiro".

Entre os citados nominalmente estão os presidentes Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O general agradeceu ainda os servidores da Secretaria de Governo "pela dedicação, capacidade e amizade com que trabalharam, desejando que continuem com a mesma exemplar eficiência".

O ex-ministro mencionou a imprensa "pelo profissionalismo que sempre me trataram em todas as oportunidades", além de agradecer a cortesia de autoridades do Judiciário, Ministério Público e do Tribunal de Contas da União.

Santos Cruz foi demitido após divergências com a Secretaria de Comunicação da Presidência, que é subordinada à Secretaria de Governo.

Ele foi comunicado sobre sua saída em reunião com Bolsonaro e o ministro general Augusto Heleno (GSI) pouco antes de o presidente embarcar para Belém (PA).

Em nota, Bolsonaro afirma que a demissão "não afeta a amizade, a admiração e o respeito mútuo" e agradece o trabalho executado pelo general Santos Cruz à frente da Secretaria de Governo.

Divulgado pelo porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, o texto confirma também que a Secretaria de Governo será comandada pelo general de Exército Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira. 
Ramos é general da ativa do Exército e ocupava atualmente o comando Militar do Sudeste, em São Paulo.

Veja a íntegra da carta divulgada por Santos Cruz:

"Na oportunidade em que deixo a função de ministro da Secretaria de Governo (Segov) da Presidência da República, por decisão do Excelentíssimo Presidente Jair Messias Bolsonaro, expresso minha admiração e agradecimento:
- A todos os servidores da Segov, pela dedicação, capacidade e amizade com que trabalharam, desejando que continuem com a mesma exemplar eficiência;
- Aos Excelentíssimos Deputados e Senadores, digníssimos representantes do povo brasileiro, pelo relacionamento profissional respeitoso, desejando sucesso no equacionamento e na solução das necessidades e anseios de todos os brasileiros, com especial destaque para o Excelentíssimo Senador Davi Alcolumbre (presidente do Senado Federal) e Excelentíssimo Deputado Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados);
- Aos Governadores e Prefeitos que deram a honra de trazer à Segov suas contribuições;
- À imprensa, de modo geral, pelo profissionalismo que sempre me trataram em todas as oportunidades;
- Às autoridades do Poder Judiciário, Ministério Público e do Tribunal de Contas da União, pela cortesia no relacionamento e nas oportunidades em que tive a honra de travar contato, desejo que sejam sempre iluminados em suas decisões.
- Às diversas instituições e organizações civis, empresas, servidores públicos, embaixadores e todos os cidadãos que travaram contato com o governo por meio da Segov;
- Ao Presidente Bolsonaro e seus familiares, desejo saúde, felicidade e sucesso."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.