'Eu não acho nada', diz Bolsonaro sobre Bivar

Situação do deputado foi discutida com lideranças do PSL em reunião neste sábado (8)

Ricardo Della Coletta
Brasília

O presidente Jair Bolsonaro evitou neste domingo (9) comentar a situação do deputado Luciano Bivar (PE), presidente nacional do PSL, atingido por acusações de uso de notas fiscais frias.

Questionado se Bivar deveria continuar no comando do PSL, Bolsonaro respondeu: "eu não acho nada."

A Folha mostrou que o dirigente da legenda apresentou à Câmara e ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) notas fiscais de empresas que negociam a venda desse tipo de documento.

Em fevereiro, a Folha também revelou que o grupo político de Bivar ​lançou candidatas laranjas em Pernambuco que receberam mais de R$ 600 mil de dinheiro público do partido na eleição de 2018.

Jair Bolsonaro de perfil e braços cruzados. Uma bandeira do Brasil aparece ao fundo
O Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do PLanalto - Andre Coelho - 04.jun.2019/Folhapress

As revelação de uso de notas frias desencadeou uma articulação de aliados de Bolsonaro para tirar Bivar do comando do PSL.  

O tema foi tratado na manhã do sábado (8), numa reunião do presidente da República com o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e os advogados Karina Kufa e Antonio Rueda (que é vice-presidente do partido).

A avaliação é que situação de Bivar afeta negativamente a imagem de Bolsonaro, que já sofre o desgaste de outras acusações envolvendo a legenda.   

No encontro deste sábado no Alvorada, foram tratadas opções jurídicas para justificar o afastamento de Bivar. 

Há a preocupação, no entanto, que a eventual saída de Bivar crie traumas com a bancada do partido no Congresso, já que não há unidade interna no repúdio à conduta do atual presidente da legenda.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.