Bolsonaro reage a vídeo e diz que não há referência à interferência na PF

Presidente afirmou que narrativa de Sergio Moro se trata de uma farsa e de um 'tiro n'água'

Brasília

Em reação à divulgação de vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a revelação da gravação é "mais um tiro n'água" e que não há nela qualquer menção à interferência na Polícia Federal.

"Cadê a parte do vídeo onde eu falo em [mudar] superintendência da Polícia Federal ou diretoria-geral que deve ser substituído? Não existe, eu falo da minha segurança pessoal", declarou Bolsonaro, em entrevista à rádio Jovem Pan no final da tarde desta sexta-feira (22).

"[É] mais um tiro n'água, mais uma farsa desmontada, como tantas outras", declarou.

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu tornar pública a íntegra do vídeo da reunião ministerial citada pelo ex-ministro Sergio Moro em depoimento à Polícia Federal como um indício de que o presidente Jair Bolsonaro desejava interferir na autonomia da P​olícia Federal.

Bolsonaro também comentou a divulgação da gravação em suas redes sociais.

Ele publicou um trecho do vídeo com a mensagem "mais uma farsa desmontada". "Nenhum indício de interferência na Polícia Federal", escreveu.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.