Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro admite conversas sobre filiação em outros partidos e diz não poder investir 100% na Aliança

Presidente citou possibilidade de reconciliação com o PSL, sigla da qual se desfiliou no ano passado

Brasília

Cerca de nove meses depois de ter se desfiliado do PSL, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu, nesta quinta-feira (13), estar mantendo conversas sobre sua entrada em outras siglas, disse que não pode jogar todas as fichas na criação da Aliança pelo Brasil e revelou inclusive que pode se reconciliar com a legenda pela qual se elegeu para o Palácio do Planalto.

"Eu não posso investir 100% na Aliança, em que pese o esforço de muita gente", afirmou Bolsonaro, durante sua live semanal nas redes sociais.

"Eu tenho que olhar outros partidos e tenho recebido convites. Três partidos me convidaram para conversar, um foi o Roberto Jefferson [do PTB]. E já conversei com o presidente de dois outros partidos", acrescentou, sem revelar o nome das legendas.

Em seguida, Bolsonaro revelou ainda uma outra possibilidade: a volta ao PSL, partido do qual se desfiliou em novembro do ano passado após romper com o deputado Luciano Bivar (PE), presidente da sigla.

"Tem uma quarta hipótese: o PSL. Alguns sinalizaram uma reconciliação. A gente bota as condições na mesa para reconciliar, e eles botam de lá pra cá também", disse.

Bolsonaro destacou ainda que a expectativa era que a Aliança pelo Brasil —partido ainda não criado e que reuniria o bolsonarismo— ficasse pronto neste ano, o que não deve se concretizar. Na live, o próprio Bolsonaro tratou essa meta como "difícil" de ser realizada. "Não posso jogar as fichas apenas na Aliança."

Sobre seu possível retorno ao PSL, ele destacou que mantém contato com a maioria da bancada no Congresso, mas que tem "uns oito ali que não dá para conversar".

Por último, Bolsonaro afirmou que pretende apresentar as justificativas aos seus seguidores que trabalham pela coleta de assinaturas da Aliança pelo Brasil caso decida voltar ao PSL ou migrar para um terceiro partido.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.