Descrição de chapéu Eleições 2020

Ex-prefeito, Alexandre Ferreira (MDB) volta ao cargo após quatro anos em Franca

Candidato do MDB derrotou empresária filiada ao PSD na cidade paulista neste domingo

Ribeirão Preto

O ex-prefeito de Franca Alexandre Ferreira (MDB), 53, foi eleito neste domingo (29) para governar a cidade entre 2021 e 2024. Ele voltará ao cargo após um hiato de quatro anos. O vice-prefeito será o professor Everton de Paula (PRTB), 70.

Funcionário público de carreira, Alexandre foi eleito com 57,62% dos votos válidos, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ao bater sua adversária, a empresária Flávia Lancha (PSD), 61, que obteve 42,38%.

A campanha no interior foi marcada pela ausência da figura do governador João Doria (PSDB) até mesmo entre os favoritos.

Alexandre Ferreira durante a campanha em Franca
Alexandre Ferreira durante a campanha em Franca - Divulgação

​Assim, ele reverteu o resultado do turno inicial, quando Flávia teve 24,61% dos votos (35.338 no total), ante os 19,34% do emedebista (27.772 votos).

Natural da própria Franca, Alexandre é servidor público municipal há 28 anos. Entre 2013 e 2016, foi prefeito, eleito pelo PSDB. Não disputou a última eleição, quando poderia tentar a reeleição, já que o partido optou pelo também ex-prefeito Sidnei Rocha, que foi derrotado no segundo turno, e trocou de sigla.

Em 2018, foi candidato a deputado federal pelo Solidariedade, mas não se elegeu, e se transferiu para o MDB, legenda pela qual disputou e venceu a sucessão municipal deste ano. Sua coligação era a maior de Franca, composta por outros seis partidos: PSC, PRTB, PMN, Avante, Patriota e Solidariedade.

A eleição em Franca foi disputada por oito candidatos e teve um primeiro turno apertado, com três candidatos separados por menos de quatro pontos percentuais.

O terceiro colocado foi João Rocha (PSL), que teve 25.860 votos, 18,01% dos válidos --1,33 ponto percentual atrás de Alexandre--, seguido por Adérmis Marini (PSDB), com 15,46%. Também disputaram a eleição Bruxellas (PT), que somou 12,10%, Marília Martins (PSOL), com 2,49%, e Orivaldo Donzelli (PTB), com 1,26%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.