Vídeo e conteúdo regional são apostas do mercado para o futuro do mobile

Segundo dados da GSMA, cerca de 60% do tráfego mundial de dados na internet móvel é de vídeo

Ricardo Ampudia
Los Angeles

Uma das discussões mais presentes no Mobile World Congress Americas, que aconteceu nesta semana, em Los Angeles, foi o futuro do vídeo na internet móvel.

Com expectativas altas em relação à velocidade do 5G, que deve chegar ao consumidor em 2020, os produtores de conteúdo e operadoras traçam suas estratégias para o mercado.

Mulher segura dois celulares enquanto acessa a internet
A expectativa em relação à chegada da internet 5G é alta entre os consumidores. Produtores de conteúdo e operadoras apostam em conteúdos para dispositivos móveis - Andrew Kelly/Reuters

Segundo dados apresentados pela GSMA no evento, cerca de 60% do tráfego mundial de dados na internet móvel é de vídeo.

“O futuro do vídeo é o mobile e o futuro do mobile é o vídeo”, disse David Chistopher, presidente da AT&T. A operadora adquiriu a DirecTV em 2015 e se tornou um dos maiores provedores de conteúdo por assinatura do país.

O movimento de operadoras que se transformam em produtores, segundo analistas, deve se intensificar nos próximos cinco anos, à medida que a capacidade da banda larga móvel se desenvolve.

“Os operadores descobriram a importância de produzir conteúdo próprio, em vez de apenas distribuí-lo, e o conteúdo tende a ser localizado”, diz Mats Granryd, diretor da GSMA.

A regionalização de conteúdo também deu a tônica nas discussões. A falta de relevância dos produtos, seja por barreira de língua ou cultural, é apontada pela fenda entre o número de usuários que têm dispositivos com acesso à banda larga rápida, em 4G, mas não usam. Só no Brasil, são 79 milhões de usuários nessa condição.

“Em todos os mercados, quando há conteúdo regional, ele sempre supera até nosso conteúdo premium, como Game of Thrones”, disse Richard Pepler, presidente-executivo da HBO, citando experiências bem-sucedidas na Espanha e nos países nórdicos.

“A cultura come a estratégia no café da manhã”, brincou.

O desenvolvimento do 5G, com velocidade de dados muito maior do que a geração anterior, também deve dar novo fôlego ao vídeo imersivo. 

A Sprint apresentou um protótipo de realidade virtual na feira, que usa câmeras 360º nos estádios para levar o espectador para a arquibancada.

O jornalista viajou a convite da GSMA

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.