Marriott reduz estimativa de impacto de ataque hacker a rede de hotéis

Número inicial de 500 milhões de clientes atingidos caiu para 383 milhões

Nova York

 A Marriott International afirmou nesta sexta-feira (4) que menos de 383 milhões de registros de clientes foram roubados em um grande ataque hacker revelado pelo grupo no mês passado, uma queda ante a estimativa inicial de até 500 milhões de hóspedes.

A operadora de redes hoteleiras também divulgou que cerca de 25,55 milhões de números de passaporte foram roubados no ataque ao sistema de reservas da bandeira Starwood Hotels, 5,25 milhões dos quais estavam armazenados em texto simples. Além disso, 8,6 milhões de números de cartões de crédito codificados também foram alvo do ataque.

Marriott confirmara anteriormente que números de passaporte e cartões de crédito tinham sido roubados, mas não informou na ocasião quantos tinham sido afetados.

A companhia revelou em 30 de novembro a descoberta de que o banco de dados da rede Starwood tinha sido invadido por quatro anos, em um dos maiores vazamentos de dados pessoais na história. Ao menos cinco Estados dos Estados Unidos e o Gabinete de Informação do Reino Unido estão investigando o ataque.

A Marriott também informou que completou o trabalho de desligar o banco de dados do sistema de reservas da Starwood, rede comprada pela companhia em setembro de 2016 por 13,6 bilhões de dólares. O ataque hacker começou em 2014, um ano antes da Marriott ter feito oferta de compra da rede rival.

0
Logo da rede de hotéis The Marriott, em Washington (EUA) - Nicholas Kamm/AFP
Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.