Companhias aéreas reduzem exigências sobre o look de comissárias

Empresas internacionais de aviação liberam o uso de calças no uniforme e dispensam maquiagem

Mulher de vermelho com chapéu puxa mala de carrinho preta, em frente a placa onde está escrito "embarque"
Comissária de bordo em saguão do aeroporto de Guarulhos (SP) - Marcus Leoni/Folhapress
São Paulo

Duas companhias aéreas internacionais decidiram tornar menos rígidas as regras sobre a aparência de suas comissárias de bordo

As funcionárias da inglesa Virgin Atlantic e da irlandesa Aer Lingus não são mais obrigadas a usar maquiagem nos voos. Ambas as empresas também vão incorporar calça comprida aos uniformes dessas funcionárias

No Brasil, as quatro maiores companhias aéreas já oferecem calças no uniforme, mas pedem o uso de maquiagem e dão instruções sobre como ela precisa ser. A orientação da Gol é que a maquiagem "harmonize a pele", enquanto a Latam recomenda o uso de "cores naturais". 

Na Azul, uso de salto baixo só é liberado no caminho de uma aeronave à outra, para dar conforto e segurança às comissárias nos trajetos que podem ser longos e incluir escadas, segundo a empresa. 

A Avianca Brasil e a Latam dizem não exigir o uso de cabelos presos, ao contrário da Gol, que proíbe cabelos soltos quando eles passam da altura dos ombros.

A empresa está testando novos uniformes, desenvolvidos pelo estilista Alexandre Herchcovitch, que levam em consideração os "movimentos e as necessidades do dia a dia dos colaboradores nas diferentes áreas da operação". 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.