Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/11/2010 - 21h01

Polícia apreende drogas e armas enterradas no Complexo do Alemão, no Rio

Publicidade

DA AGÊNCIA BRASIL
DE SÃO PAULO

Policiais civis encontraram no início da tarde desta terça-feira cerca de 500 kg de maconha, 30 kg de cocaína, uma pistola e sete fuzis escondidos em um porão em baixo de um barraco de madeira na localidade conhecida como Fazendinha, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio.

Leia a cobertura completa sobre os ataques no Rio
Veja o mapa da violência no Rio
Veja a cobertura dia a dia
Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook

Um dos fuzis é de calibre ponto 50, com alto poder de fogo e utilizado contra aeronaves e carros blindados, e outro de calibre ponto 30, igualmente letal. Os demais são de calibre 762, sendo que um deles, modelo G3, tinha as iniciais LP, que seriam do traficante Luciano Pezão, um dos principais chefes do tráfico no local. Segundo agentes da 9ª Delegacia (Catete), a droga e as armas estavam embaladas em sacos plásticos e dentro de tonéis de plástico enterrados a 2 metros de profundidade.

Para o delegado Alan Luxardo, que comandou a operação, a técnica para esconder a droga e as armas é a mesma utilizada por guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). "Isso tudo demonstra o grande poderio que foi desarticulado. Eles usavam a mesma técnica das Farc, de armazenar drogas e armas em baixo da terra, dentro de tonéis de plástico, para dificultar sua localização. Era uma estratégia de guerrilha", afirmou o delegado.

Luxardo considerou que a descoberta prova a tese da polícia, de que os traficantes que fugiram da região não conseguiram levar as armas, o que os deixaria vulneráveis. "Um marginal sem arma e sem território fica muito mais fácil de ser preso", disse.

Na Vila Cruzeiro, soldados do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais, da PM) descobriram uma casamata usada pelos traficantes, no local conhecido como Quatro Bicas.

Os policiais disseram que os traficantes fizeram vários buracos nas paredes e os revestiram com canos de plástico duro (PVC) para poder apoiar o cano das armas e atirar contra a polícia. Segundo os soldados do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do local os traficantes tinham uma visão privilegiada do principal acesso à Vila Cruzeiro.

Também hoje, os policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis localizaram um túnel de 400 metros de extensão. A passagem subterrânea segue por galerias pluviais que estão sendo construídas pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e teria sido usada para a fuga dos traficantes.

A Vila Cruzeiro e as 16 favelas do Complexo do Alemão, na Penha, são alvo de uma megaoperação das polícias militar e civil com o apoio das Forças Armadas para desmantelar o tráfico de drogas. A ocupação da Vila Cruzeiro começou na última quinta-feira (25) e do Complexo do Alemão, no domingo (28).

MILITARES

O presidente Lula voltou a afirmar nesta terça-feira todo o apoio necessário ao governo do Rio na estratégia de enfrentamento do crime organizado. Segundo Lula, as tropas das Forças Armadas ficarão no Rio o "tempo que for necessário para garantir a paz".

Na manhã de hoje, o governador Sérgio Cabral (PMDB) assinou o pedido formal ao Ministério da Defesa para a permanência das Forças Armadas no Estado até outubro de 2011.

Segundo Cabral, os militares devem permanecer nas comunidades até a instalação de novas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). "Eu assinei agora pela manhã um documento solicitando tropas de paz do Exército para que nossa polícia possa continuar fazendo o trabalho de inteligência", afirmou o governador.

Para as autoridades, os ataques criminosos foram uma retaliação dos traficantes contra a instalação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) nos morros e favelas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página