Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/03/2011 - 00h10

Luiz Augusto Martins Côrtes - Pioneiro na mistura de rock com ritmo nordestino

Publicidade

MATHEUS MAGENTA
DE SALVADOR

O artista pernambucano Luiz Augusto Martins Côrtes, conhecido como Lula Côrtes, 61, morreu na madrugada deste sábado no hospital Barão de Lucena, em Recife. O artista, que tinha câncer na garganta, foi um dos pioneiros na mistura do rock com ritmos nordestinos.

Leia sobre outras mortes

Côrtes foi cantor, compositor, artista plástico e escritor. Uma das obras mais famosas do artista é o disco "Paêbirú", gravado na década de 1970 com Zé Ramalho.

O disco, considerado um dos principais expoentes da psicodelia nordestina, sofreu influências de canções indígenas, timbres orientais e de bandas como Pink Floyd.

Em 1975, uma enchente que atingiu Recife destruiu quase todas as cópias do vinil na gravadora Rozenblit --exceto 300 que estavam na casa de Côrtes. O disco se tornou raridade e é um dos mais caros em sebos do país.

A obra nunca foi relançada em CD no Brasil, como pretendia Côrtes.

Em entrevista à Folha em 2006, ele afirmou que "a única coisa chata é que ele é um dos discos mais raros e caros do mundo, mas não recebo um centavo por isso".

As histórias sobre "Paêbirú" e a cena musical da época serão contadas em um documentário feito por Cristiano Bastos e Leonardo Bomfim. "Nas Paredes da Pedra Encantada", dá nome ao filme.

O corpo de Côrtes foi velado no sábado na Câmara de Jaboatão dos Guararapes (região metropolitana de Recife), onde ele trabalhava como assessor especial da prefeitura na área de cultura.

O enterro ocorreu anteontem, no cemitério da Muribeca, também em Jaboatão.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página