Descrição de chapéu COP-24

Noruega aumenta em quase 60% valor de ajuda ao Brasil para combater desmate

Doação é relacionada à queda no desmatamento no período 2016-2017; no período 2017-2018, destruição cresceu

Phillippe Watanabe
São Paulo

A Noruega vai aumentar em quase 60% a doação de dinheiro para o Brasil após a queda no desmatamento registrada entre 2016 e 2017.

No ano passado, o valor tinha sido reduzido quase à metade por conta dos dois anos sucessivos de aumento no desmate.

O país nórdico doará ao Fundo Amazônia US$ 70 milhões (cerca de R$ 266 milhões ou 600 milhões de coroas norueguesas). Em 2017 o valor recebido pelo governo brasileiro foi de US$ 41,8 milhões (R$ 159 milhões), segundo o Ministério do Meio Ambiente. 

 

O ministro norueguês do Clima e Ambiente, Ola Elvestuen, afirma que o Brasil tem atingido resultados muito bons no combate ao desmatamento durante a última década —evitando a emissão de mais de 4,5 bilhões de toneladas de CO2.

"Mesmo com a situação econômica difícil, é encorajador ver que o Brasil conseguiu reduzir o desmatamento na Amazônia", diz Elvestuen, em nota.

O Fundo Amazônia, administrado pelo BNDES, é destinado ao combate ao desmate e ao desenvolvimento sustentável. O valor doado varia de acordo com as taxas de desmatamento da floresta amazônica. O fundo também recebe dinheiro da Alemanha e da Petrobras, mas a maior parte dos recursos é oriundo da Noruega.

No entanto, o governo norueguês já demonstra preocupação com as taxas de desmatamento do período entre 2017 e 2018. A devastação amazônica voltou a crescer e atingiu o maior patamar da última década, segundo dados do Prodes (Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite) divulgados no final de novembro.

Entre agosto de 2017 e julho de 2018, foram derrubados 7.900 mil km² de floresta, um crescimento de 13,7% em relação ao período anterior. Os dados, porém, são preliminares.

Desse modo, o governo nórdico diz que as bases para o próximo pagamento só poderão ser confirmadas em 2019.

"Estamos ansiosos para falar com o novo governo do Brasil sobre os planos futuros e sobre nossa colaboração bilateral", diz a nota, em referência ao presidente eleito Jair Bolsonaro. "Esperamos e acreditamos que o Brasil continuará a mostrar ao mundo que é possível reduzir o desmatamento ao mesmo tempo que se aumenta a produção agrícola de forma sustentável."

A Noruega afirma que continuará com as doações ao Fundo Amazônia até 2020, cumprindo os acordos pactuados entre os dois países.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.