Salles é recebido com vaia em evento do clima, muda agenda e vai para Amazônia

Ministro afirma que evento só aconteceu porque o prefeito de Salvador, ACM Neto, o convenceu

Ana Carolina Amaral
Salvador (BA)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, discursou brevemente na manhã desta quarta-feira (21) em Salvador, no palco principal da Climate Week - Semana Climática da América Latina e Caribe, organizada pela ONU. 

À Folha, o ministro confirmou que mudou a agenda por conta das queimadas que afetam o país e deve ir ainda nesta quarta para a Amazônia e o para o cerrado, começando por cidades matogrossenses de Sinop, Sorriso e Cuiabá, além do parque nacional da Chapada dos Guimarães.

Sob vaias da plateia e protestos de ativistas locais, além de manifestações das ONGs Engajamundo, 350.org e do movimento Não Fracking Brasil, Salles falou por cerca de três minutos no evento, concorrendo com os gritos da plateia de ‘fascista’ e ‘assassino’ —parte dela ficou em pé, segurando cartazes. 

O ministro do Meio Ambiente discursou brevemente na manhã dessa quarta (21) na Climate Week, evento organizado pela ONU
O ministro do Meio Ambiente discursou brevemente na manhã dessa quarta (21) na Climate Week - Semana Climática da América Latina e Caribe, organizada pela ONU - Paulinne Giffhorn/350.org

Salles não citou as queimadas que afetam o país nem ações do governo para proteção ambiental. Na saída, evitou a imprensa e o público, sem responder perguntas. 

“Estou vendo os cartazes e manifestações de cada; isso tem sim eco nas iniciativas que nós temos considerado”, afirmou Salles. Ele havia subido ao palco com o prefeito de Salvador, ACM Neto, e o diretor da agência de mudanças climáticas da ONU, Martin Frick. 

“Nós fomos convencidos pelo prefeito a fazer o evento, o que permitiu que as senhoras e os senhores estejam aqui”, disse Salles, em resposta à fala de ACM Neto, que havia parabenizado o ministro por ter aceito realizar o evento. 

Em maio, Salles tentou cancelar a realização da semana climática, mas recuou após insistência de ACM Neto. 

O prefeito de Salvador fez um longo discurso destacando a agenda climática na cidade e citando fatos históricos, como a passagem de Charles Darwin por Salvador. Mediador do evento, o diretor da agência da ONU aproveitou para lembrar o protagonismo brasileiro nas negociações climáticas —agora sob suspense no governo Bolsonaro.  

“Já que você citou um fato histórico, vou lembrar um também. A convenção do clima da ONU começou no Brasil, no Rio de Janeiro, em 1992, e nós temos muito orgulho disso”, disse Martin Frick. 

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, discursou sob protesto da ONG 350. "Enquanto os incêndios se acirram na Amazônia, o Ministro do Meio Ambiente do Brasil atende a #ClimateWeekLACC em Salvador para fingir que há um futuro nos combustíveis fósseis. Ativistas estavam lá para chamar seu blefe", diz publicação da organização
Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, discursou sob protesto da ONG 350. "Enquanto os incêndios se acirram na Amazônia, o Ministro do Meio Ambiente do Brasil atende a #ClimateWeekLACC em Salvador para fingir que há um futuro nos combustíveis fósseis. Ativistas estavam lá para chamar seu blefe", diz publicação da organização - Paulinne Giffhorn/350.org
 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.