Siga a folha

Editado por Camila Mattoso, espaço traz notícias e bastidores da política. Com Fabio Serapião, Guilherme Seto e Matheus Teixeira.

Tentativa de atrair Bolsonaro gera debandada de filiados do Partido da Mulher Brasileira para o PDT

Líder do grupo diz que vê desrespeito a minorias e desmantelo da saúde e da educação no presidente

Você atingiu seu limite de matérias livres

Assine e tenha acesso Ilimitado

– OFERTA ESPECIAL – 1 ANO DE DESCONTO –

Cancele quando quiser

R$ 1,90 POR 3 MESES

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas. Apoie o jornalismo profissional.

A tentativa de atrair Jair Bolsonaro por parte do Partido da Mulher Brasileira, que passou a se chamar Brasil 35 em abril, gerou debandada na direção paulista da sigla. Paulo Roberto, ex-presidente da Executiva municipal, calcula que cerca de 2.000 pessoas poderão se filiar ao PDT.

Roberto diz que esse grupo tem divergências com Bolsonaro em quase todas as áreas e que a direção nacional do Brasil 35 tem um projeto de enriquecimento pessoal. A presidente nacional do partido é Suêd Haidar.

"O primeiro problema é a falta de respeito com as minorias. Desrespeito com o povo negro e com a população feminina. Tem também a ligação com os líderes religiosos que são articuladores da perseguição da religiosidade das minorias. Além disso, esse governo excluiu todos os ganhos da classe trabalhadora brasileira ao longo dos anos. Desmantelo da saúde e da educação", afirma o novo pedetista Paulo Roberto.

Encontro entre líderes do PDT e ex-PMB para selar transferência partidária - Divulgação

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas