Em MG, Inhotim exigirá comprovação de vacina contra febre amarela

Crédito: Alexandre Rezende - 20.ago.2016/Folhapress BRUMADINHO, MG, BRASIL, 20-08-2016, 12:30h. Movimento de visitantes no Inhotim. Inhotim, o maior centro de arte contemporânea do Brasil, localizado em Brumadinho, Minas Gerais completa 10 anos. (Alexandre Rezende/Folhapress TURISMO) *** EXCLUSIVO FOLHA ***
Instituto Inhotim, o maior centro de arte contemporânea do Brasil, localizado em Brumadinho (MG)

DE SÃO PAULO

Mineiros e turistas que quiserem visitar o Instituto Inhotim, em Brumadinho (região metropolitana de Belo Horizonte), terão que comprovar que foram imunizados contra a febre amarela pelo menos dez dias antes de ir ao parque. A determinação entra em vigor na próxima terça-feira (23).

A conferência individual do cartão de vacinação será feita ainda no estacionamento. "A medida é mais uma ação preventiva em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, para conscientizar os visitantes sobre a importância de se vacinar contra a doença", diz nota enviada pela instituição.

A medida foi divulgada depois que o governo mineiro confirmou a morte do artista Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, em decorrência da febre amarela, nesta quinta-feira (18). A segunda do Estado este ano. A vítima foi infectada pelo vírus em Brumadinho, onde estão sendo investigados mais quatro casos da infecção.

Febre Amarela

"Inhotim já oferece aos visitantes repelentes, dispostos em locais estratégicos do museu como na recepção e nos pontos de alimentação", informa também o texto.

Desde meados do ano passado, quando começaram a surgir os primeiros casos em Minas, a administração do instituto realiza campanhas de vacinação entre os seus funcionários. Até o momento, nenhum caso de febre amarela foi notificado no Inhotim.

FUNCIONAMENTO

O instituto disponibiliza para o público, desde 2006, um acervo de peças da arte contemporânea e uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes. Por ano, cerca de 350 mil pessoas visitam o local considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina.

A instituição continua funcionando normalmente de terça-feira a sexta-feira, das 9h30 às 16h30. Fins de semanas e feriados o horário se estende até as 17h30. O valor da entrada (inteira) é R$ 44 e pode ser adquirida pelo site do instituto.

FEBRE EM MINAS

No primeiro período de monitoramento da febre amarela (julho/2016 a junho/2017), foram registrados 475 casos confirmados em Minas, sendo que 162 morreram.

Desde o início do 2º período, em julho do ano passado, já foram confirmados 23 casos e 16 mortes agora. Outros 46 pacientes continuam em investigação.

Do total de confirmados neste último levantamento, 21 são do sexo masculino. A média de idade é de 45 anos (31 - 69 anos). A letalidade pela doença no Estado está em aproximadamente 68,2%.

Todos os confirmados não tinham sido vacinados. Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas gira em torno de 82%.

Ainda há uma estimativa de 3,5 milhões não vacinados, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos, que também foi a mais atingida pela epidemia silvestre no ano passado.
Belo Horizonte alcançou uma cobertura vacinal de 86%, considerando que é necessário apenas uma dose para imunização.

No próximo sábado (20), os Centros de Saúde estarão abertos para vacinação, das 8h às 17h.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.