Descrição de chapéu carnaval

Empresa do Carnaval diz que instalação de câmeras teve aval da gestão Doria

Prefeitura nega autorização e aplica multa R$ 15.800 por irregularidade

Estudante de engenharia biomédica Lucas Antônio Lacerda da Silva foi eletrocutado ao encostar em poste de sinalização na rua da Consolação
Estudante de engenharia biomédica Lucas Antônio Lacerda da Silva foi eletrocutado ao encostar em poste de sinalização na rua da Consolação - Reprodução/ Facebook
Luciano Cavenagui
São Paulo

O advogado da Dream  Factory, Marcelo Rocha Leal, afirmou nesta quinta (8) que a empresa tinha autorização da gestão João Doria (PSDB) para instalar câmeras de monitoramento para o Carnaval.

É a primeira vez que a empresa organizadora do Carnaval diz que tinha licença da prefeitura após a morte do universitário Lucas Antônio Lacerda da Silva, 22, no domingo (3), eletrocutado ao encostar em um poste onde foram instaladas duas câmeras na rua da Consolação (região central), durante a passagem de um bloco de Carnaval.

Até então, apenas a empresa GWA Systems, terceirizada da Dream Factory para instalar as câmeras, havia afirmado que tinha licença.

"Se não tivesse autorizado, as câmeras não teriam sido instaladas", afirmou Leal. É evidente que todos os serviços foram autorizados.

A declaração foi dada nesta quinta, no 4º DP (Consolação), onde o diretor-geral da Dream  Factory, Duda Magalhães, prestou depoimento. Magalhães não falou com a imprensa. O teor de seu depoimento não foi divulgado pela sua defesa nem pela polícia, que colocou em sigilo o inquérito que apura o caso.

MULTA

A gestão João Doria divulgou também nesta quinta que multou a Dream  Factory em R$ 15.800 pela instalação irregular no caso. "Não estamos sabendo de nada, não fomos comunicados", afirmou Leal.

O prefeito Doria afirmou que a empresa fez um gato no local, roubando a energia de um poste da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

A prefeitura já tinha afirmado no início da semana que as empresas não tinham autorização da CET para instalar as câmeras no poste nem da Ilume para esticar um fio de um outro poste para ligar esses equipamentos.

Segundo a Secretaria de Prefeituras Regionais, as empresas só entregaram na noite de terça (6) a lista com os locais onde os equipamentos foram instalados.


ENTENDA O CASO

Para que servem as câmeras instaladas no poste da CET?

Como parte das obrigações impostas pela prefeitura, a empresa DreamFactory, que venceu a concorrência para gerir o patrocínio de R$ 20 milhões do Carnaval de rua, deveria oferecer 200 câmeras para monitorar os locais de maior aglomeração de público. A empresa contratou a GWA Systems para realizar esses serviços. Os equipamentos instalados na última sexta (2) foram interligados ao sistema City Câmeras da prefeitura.

A GWA Systems tinha autorização da prefeitura para instalar o equipamento?

A CET e a Ilume, órgão da prefeitura que cuida da iluminação pública, afirmaram que não foram informadas da instalação e não a autorizaram.

O que diz a empresa?

Segundo o dono da GWA Systems, Arthur José Malvar de Azevedo, a instalação foi feita com autorização verbal de funcionários da CET. Ele não comentou a eventual necessidade de obter uma autorização formal e defende que seja feita perícia para constatar a real causa da morte do rapaz.

É permitido fazer instalação em postes da CET?

Apenas mediante autorização expressa do órgão. Mesmo assim, muitos pedidos não são aceitos.

Agora
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.