Na contramão de Doria, Covas assume prefeitura com exaltação à política

Novo prefeito se comprometeu com meta de criar 85 mil vagas em creche

Bruno Covas, novo prefeito de São Paulo, faz seu primeiro pronunciamento oficial no cargo ao lado do ex-prefeito João Doria
Bruno Covas, novo prefeito de São Paulo, faz seu primeiro pronunciamento oficial no cargo ao lado do ex-prefeito João Doria - Joel Silva/Folhapress
Artur Rodrigues
São Paulo

Em seu primeiro pronunciamento nesta segunda-feira (9), Bruno Covas (PSDB), o novo prefeito de São Paulo, fez um discurso exaltando a política, na contramão do tucano João Doria e seu viés antipolítico. Covas também citou o avô, o ex-governdor Mario Covas, e o ativista negro e Nobel da Paz  Martin Luther king.

O novo administrador da cidade participou de cerimônia que lotou o hall do edifício Matarazzo, no centro da capital paulista. Usando terno cinza e gravata laranja, ele se dirigiu para uma plateia formada por muitos políticos e servidores públicos.

O tucano assumiu o cargo na sexta-feira (6), quando Doria deixou o posto para disputar o governo estadual. Ao lado de Doria, que foi elogiado como responsável por ensinamentos a ele, Covas fez uma defesa da atividade política. 

Doria foi eleito no primeiro turno com um discurso de que era um administrador, não um político. "Nunca escondi de ninguém que sou político. Aristóteles já dizia que o homem é um ser político", disse Covas.

Covas citou o avô, que também foi prefeito da cidade, para defender a política. "Como lembrou Mario Covas, em seu discurso de posse como prefeito de São Paulo, não é sem razão que o vocábulo política encontra a sua raiz na expressão pólis, isto é, cidade", disse. 

O novo prefeito também atacou o personalismo. "É forçoso eliminar da linguagem do poder a primeira pessoa do singular", afirmou. Ele também afirmou ter pressa. "Serão apenas 33 meses para pagar a minha dívida de gratidão [com a cidade]", disse.

Ele citou ainda uma frase de Martin Luther King: " O tempo é sempre certo para fazer o que está certo".

Diferentemente de Doria, que costumava adotar um tom mais informal nas cerimônias, o tucano citou nominalmente dezenas de autoridades presentes. E enumerou feitos da gestão, além de se comprometer com metas, como a de criar 85 mil vagas em creche. "Sou daqueles que acham que mais vale eliminar uma fila do que construir um viaduto".

Durante a cerimônia, estiveram presentes no palco ao lado de Covas políticos como o presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), o ex-prefeito João Doria (PSDB) e o presidente da Assembleia, Cauê Macris (PSDB).

Em seu discurso, Milton Leite (DEM)  disse que Covas teria de "fazer muito com pouco " e exaltou a gestão Doria, afirmando que apoiará o tucano nas eleições para o governo estadual. Cauê Macris também usou o palanque para elogiar Doria e falou que Covas representa a renovação. Doria não discursou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.