Chefe do PCC no Paraguai, brasileiro é preso em mansão em Assunção

O traficante morava em uma casa de luxo com piscina e sistema de câmeras de segurança

Brasileiro líder regional do PCC no Paraguai é preso por agentes antidrogas
Brasileiro chefe regional do PCC no Paraguai é preso por agentes antidrogas - Senad/Divulgação
Martha Alves
São Paulo

​O brasileiro Eduardo Aparecido de Almeida, 39, considerado o chefe regional do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Paraguai e Bolívia, foi preso na tarde desta quarta-feira (18) em Assunção, capital paraguaia. Ele será entregue às autoridades brasileiras.

O traficante morava em uma casa de luxo com piscina no bairro Ykua Satí, que tinha um sistema de câmeras de segurança que mostrava a movimentação em todo o quarteirão. Durante a ação dos agentes antidrogas, ele tentou fugir pelos fundos da casa, mas foi preso.

Sistema de câmeras de segurança na casa de líder do PCC no Paraguai
Sistema de câmeras de segurança na casa de chefe do PCC no Paraguai - Senad/Divulgação

Com o criminoso, também foram presos outro brasileiro, Ricardo Moraes Alves, e o policial paraguaio Carlos Alfredo Mendoza. Segundo a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), o paraguaio era responsável pela segurança de Almeida.

No imóvel, foram apreendidos vários documentos, aparelhos de comunicação, relógios, duas camionetes e duas motos e mais de US$ 102 mil e 5 milhões de guaranis (moeda paraguaia), que, somando, equivalem a quase R$ 400 mil. 

A procuradora-geral da República do Paraguai, Sandra Quiñonez Astigarraga, publicou em redes sociais que Almeida é o número dois do PCC e que estava no país para coordenar o tráfico entre a Bolívia e o Paraguai.

Almeida possui mais de seis ordens de prisão no Brasil por vários crimes relacionados a tráfico de drogas, associação criminosa, sequestro e homicídios.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.