Charretes flagradas em racha no interior de SP estavam a 50km/h, diz polícia

Velocidade é a mesma permitida nos corredores de ônibus da capital paulista

Alfredo Henrique
São Paulo

Um laudo da Polícia Civil indica que duas charretes flagradas realizando um racha, em 29 de setembro no km 65 da rodovia Raposo Tavares, região de Mairinque (71km de SP), trafegavam a cerca de 50 km/h.

Essa velocidade é a máxima permitida, por exemplo, nos corredores de ônibus da capital. O resultado do laudo foi confirmado ontem pela SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão Márcio França (PSB).

Na ocasião, dois homens foram indiciados por maus-tratos a animais e “periclitação da vida”. Eles podem pegar até três anos de prisão pelos maus-tratos, e por expor a vida ou a saúde de outras pessoas a perigo. A dupla também está sujeita a multas por crimes ambientais.

Um vídeo, feito com celular, mostra os suspeitos realizando uma corrida, durante a qual um dos animais cai na pista, ficando ferido. É possível observar ainda, segundos antes da queda, faíscas saírem do atrito da ferradura do animal com o asfalto.

Os homens eram seguidos por um carro, que filmou a ação, e uma moto. A polícia tenta identificá-los. O cavalo ferido também não foi localizado, e registros similares de rachas passaram a ser divulgados após a repercussão deste caso.

A delegada Fernanda Ueda, de Mairinque, disse na época do flagrante que, apesar de um dos homens ter afirmado que estava apenas passeando com o cavalo, a charrete que conduzia era adaptada para disputa de rachas. “É uma prática deles. Eles chamam essa charrete de ‘aranha’ e são feitas para corridas”, afirmou.

Agora
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.