Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Após recuo de Moro, presidente do Fórum de Segurança Pública pede exoneração de conselho

Em ofício enviado a ministro, Lima afirma que Ilona 'foi colocada em uma situação constrangedora'

São Paulo

O diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, pediu exoneração da vaga que ocupa no Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária após o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, recuar na nomeação da especialista em segurança pública Ilona Szabó como membro suplente do grupo. 

Em ofício enviado a Moro, Lima afirma que renuncia ao cargo "em caráter irrevogável e em solidariedade" a Ilona, que, segundo ele, "foi colocada em uma situação constrangedora".

"Desejo sucesso nas atividades de prevenção e repressão qualificada do medo, da violência e da criminalidade, do Ministério da Justiça e Segurança Pública", escreveu.

Lima é doutor em sociologia pela USP, professor do Departamento de Gestão Pública da FGV-Eaesp e autor do blog Faces da Violência, da Folha. ​

Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública
Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública - Karime Xavier/Folhapress

O ministro voltou atrás na indicação de Ilona após pressão nas redes sociais de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL). 

Especialista em segurança pública e colunista da Folha, ela é contrária ao afrouxamento das regras de acesso a armas, política do governo Bolsonaro. Também já criticou em artigo o pacote anticrime de Moro ao considerar preocupantes, entre outras coisas, as medidas que tendem a ampliar o direito à legítima defesa. 

A escolha havia sido um dos assuntos mais comentados no Twitter nesta quarta (27), sobretudo pela ação de militantes pró-Bolsonaro. Críticos da nomeação promoveram no Twitter a hashtag #Ilonanão. 

Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública admite que o recuo foi motivado pelas críticas recebidas. "Diante da repercussão negativa em alguns segmentos, optou-se por revogar a nomeação, o que foi previamente comunicado à nomeada e a quem o Ministério respeitosamente apresenta escusas", diz o texto. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.