Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Corpo de grávida hospedada em pousada de Brumadinho é identificado

Fernanda vivia na Austrália e veio ao Brasil com o marido visitar a família

Mirthyani Bezerra
São Paulo

A Polícia Civil de Minas Gerais identificou, no último fim de semana, o corpo da administradora de empresas Fernanda Damian de Almeida, 30, como uma das vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) em 25 de janeiro.

Uma barragem de rejeitos de minério de ferro da Vale se rompeu e deixou pelo menos 169 mortos. Há ainda 141 pessoas desaparecidas, entre funcionários da mineradora, terceirizados que prestavam serviços à Vale e membros da comunidade.

Grávida de cinco meses, Fernanda estava hospedada com o marido, o arquiteto Luiz Taliberti Ribeiro da Silva, 31, na pousada Nova Estância. O local, que fica a menos de 500 metros da barragem, foi invadido pelo mar de lama. 

Fernanda e Luis estavam de férias no Brasil. O casal morava havia quatro anos na Austrália e veio ao país para revelar à família o sexo do bebê.

Fazia dois anos que eles não vinham ao Brasil e aproveitaram a estadia para viajar pelo país. Ficaram uma semana em Florianópolis (SC), foram a Brumadinho (MG), onde visitariam Inhotim e, de lá, partiriam para Tiradentes (MG). 

Luiz, marido de Fernanda, também morreu na tragédia, assim como Adriano Ribeiro da Silva, 60, pai dele, e Camila Taliberti, 33, sua irmã. Maria de Lurdes da Costa Bueno, 59, madrasta de Luiz, é considerada desaparecida.

Além de Fernanda, mais cinco corpos foram identificados neste final de semana: Bruna Lelis de Campos, Cristiano Braz Dias, Denilson Rodrigues, Tiago Coutinho do Carmo e Zilber Lage de Oliveira.

UOL
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.