Cresce a incidência de sarampo em crianças entre um e dois anos na cidade de SP

Secretaria da Saúde acredita que muitos no grupo não tomaram a 2ª dose da vacina, aos 15 meses

Patrícia Pasquini
São Paulo

Após nova análise epidemiológica, a Coordenação de Vigilância em Saúde da capital detectou um aumento do número de casos de sarampo na faixa etária entre um e dois anos de idade.

Segundo a coordenadora do órgão, Solange Saboia, são crianças que provavelmente não tomaram a dose de reforço aos 15 meses, que é a tetraviral. A vacina protege contra sarampo, rubéola, caxumba e catapora. Nesta faixa etária, a cobertura vacinal da segunda dose é de 79%.

A orientação é que os pais levem os filhos aos postos de saúde para a imunização o mais rápido possível.

O número de casos confirmados de sarampo chegou a 4.299 no estado de São Paulo, segundo balanço divulgado na quarta-feira (18) pela Secretaria Estadual de Saúde —aumento de 19,71% em relação à semana anterior. Destes, 55,7% se concentram na capital, com 2.397 registros. 

O coeficiente de incidência do sarampo na capital é de 24,5 casos por 100 mil habitantes. Se considerada a faixa etária entre um e dois anos, o número aumenta para 53. 

A medida expressa o número de casos novos de sarampo durante um período definido, para determinar o risco de ocorrência da doença na população exposta.

Entre 6 meses e 11 meses e 29 dias, são 133 casos por 100 mil habitantes. Neste público-alvo, 84% já tomou a vacina tríplice viral —contra sarampo, caxumba e rubéola. É importante lembrar que a dose zero não substitui as do calendário nacional, que preconiza duas doses aos 12 meses e aos 15 meses. 

"Além das estratégias de intensificação, há a vacinação de rotina em todas as unidades para quem tem até 59 anos de idade e não está imunizado contra a doença", diz Saboia.

A Secretaria Municipal da Saúde recomenda que pessoas de 1 a 29 anos de idade devem ter duas doses comprovadas da imunização, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Quem tem entre 30 a 59 anos precisa receber pelo menos uma dose da vacina tríplice viral (o Ministério da Saúde faz essa mesma recomendação para pessoas de até 49 anos).

As unidades ficam abertas de segunda a sexta, das 7h às 19h, e algumas funcionam aos sábados, no mesmo horário. A relação pode ser encontrada no site www.prefeitura.sp.gov.br/covisa.

Ministério da Saúde prepara campanha de vacinação contra o sarampo

O Ministério da Saúde fará, nos meses de outubro e novembro, uma campanha para imunização contra o sarampo.

A primeira etapa, voltada a crianças de seis meses a menores de cinco anos, será realizada entre os dias 7 e 25 de outubro; a segunda, com foco na população entre 20 e 29 anos, acontecerá de 18 a 30 de novembro. As datas de mobilização —Dia D— já foram escolhidas: 19 de outubro e 30 de novembro.

Em todo o estado, foram confirmadas quatro mortes por sarampo neste ano —um homem de 42 anos sem histórico de vacinação contra a doença e outras três em crianças menores de um ano. O adulto e dois bebês moravam na capital paulista.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.