Covas se interna para 3º ciclo de quimioterapia contra câncer na região do estômago

Após esta etapa, equipe médica avaliará se tratamento fez efeito contra tumor

São Paulo

O prefeito Bruno Covas (PSDB) se internou no início da noite desta segunda-feira (25) para a terceira sessão de quimioterapia no Hospital Sírio-Libanês. Ele se trata um câncer na região do estômago, com metástase no fígado. 

O prefeito fez um hemograma que mostrou que está apto para a realização do procedimento, que deve durar 30 horas. A previsão é de que Covas inicie o tratamento na manhã desta terça (26).

Ainda não há previsão de alta, que depende da avaliação da equipe médica, coordenada pelo infectologista David Uip.

O resultado desta etapa é crucial para o tratamento do prefeito, que ficou 23 dias internado e recebeu alta no último dia 14. Só após esse ciclo, em dezembro, serão feitos novos exames para averiguar como os tumores responderam à quimioterapia. Depois dessa etapa, ainda não há previsão sobre os próximos passos.  

Após a liberação do prefeito no dia 14, Uip afirmou que ele não teve efeitos adversos do tratamento.  "O prefeito reagiu muito bem às duas sessões de quimioterapia, sem qualquer efeito adverso. Suportou bem todos os medicamentos", disse.

Covas chegou a brincar com os médicos ao dizer que se sentia tão bem que só lhe faltou nascer cabelo, uma piada com a própria calvície. 

Depois de sair do hospital, o prefeito raspou a barba e voltou à agenda normal, com algumas restrições. Ele deve evitar lugares com grande aglomeração, por exemplo. 

Covas foi internado no dia 23 de outubro, quando se tratava de uma infecção de pele. No dia 28, ele recebeu diagnóstico de câncer localizado entre o estômago e o esôfago, com metástase no fígado.

A quimioterapia poderia ser feita de maneira ambulatorial, mas a internação se alongou devido ao tratamento de uma embolia pulmonar e, depois, a um coágulo..  

Após a duas primeiras sessões, a equipe médica avaliou que seria melhor Covas se internar para fazer o último ciclo da quimioterapia. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.