Descrição de chapéu Obituário Adilvo Mazzini (1943 - 2019)

Mortes: Maestro, ajudou a fazer de Dourados a cidade da cultura

Além de músico, Adilvo Mazzini era escritor e tinha três livros publicados

São Paulo

Se tinha algo que o maestro e escritor Adilvo Mazzini sabia fazer muito bem era reger a sinfonia da vida. O dom para a arte e para a caridade se misturaram harmoniosamente.

“Meu pai pensava no próximo e deu um jeito de transformava a música num acalento para as pessoas”, diz a filha, a funcionária pública Cristiane Rocha Mazzini, 38.

Adilvo nasceu em Rio do Sul (SC), onde morou até 1966, quando mudou-se para o que era então Mato Grosso. Viveu em duas cidades: Rio Brilhante, para lecionar educação física e línguas num seminário, e Dourados, municípios que depois passaram a fazer parte do estado de Mato Grosso do Sul. Lá, cursou Letras na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Maestro e escritor, Adilvo Mazzini (1943-2019)
Maestro e escritor, Adilvo Mazzini (1943-2019) - Arquivo pessoal

Na época, já respirava música, segundo conta Cristiane. Além de ser maestro, tocava vários instrumentos como violão, violino e trompete,  e compunha arranjos e letras.

Sua história se misturou à transformação de Dourados em cidade da cultura. Foi um dos fundadores do Centro Cultural Guaraoby e dirigiu a Funced (Fundação Cultural e de Esportes de Dourados). 

Lutou para popularizar o encontro de corais que acontecia todo mês de setembro na cidade. O evento chegou a reunir mais de 40 grupos de diferentes locais do país.

Além disso, foi regente de muitos corais e fez parte do Grupo de Regentes Corais da Funarte (Fundação Nacional de Artes).

Longe do coral, regia as linhas que guardaram suas poesias e contos. Como escritor, lançou três obras: “A Voz da Montanha”, um livro de contos sobre onde nasceu; “Retalhos de Mim”, de poesias; e “Banco na Varanda”, coletânea de cartas que trocou com uma amiga. 

Adilvo Mazzini morreu no dia 5 de dezembro, aos 76 anos, de um AVC. Deixa esposa, dois filhos e uma neta.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.