Descrição de chapéu Coronavírus

Governo de SP proíbe acesso de maiores de 60 anos a sistema penitenciário

Em norma publicada nesta quinta (19), quem também veta menores de 18, preso só pode receber uma visita

São Paulo

O governo de São Paulo publicou na manhã desta quinta-feira (19) novas regras para o acesso ao sistema penitenciário em todo o estado. Elas reduzem o número de visitantes por preso e proíbem o acesso de pessoas com mais de 60 anos e menores de 18 anos.

Essas regras começam a valer já neste final de semana, por 15 dias, e poderão sofrer novas alterações conforme o avanço do coronavírus. Até o momento, segundo a Administração Penitenciária, ainda não há nenhum registro de detento infectado pelo novo vírus.

O sistema paulista tem cerca de 230 mil presos, concentrados em 150 mil vagas.

Até agora, estava proibido o acesso apenas de pessoas com sintomas de resfriado ou aquelas pessoas que os funcionários suspeitassem poder estar infectadas. Cada preso podia receber dois adultos, além de crianças cadastradas.

Momento da fuga de 563 presos do CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Mongaguá escaparam no início da noite de segunda-feira (16); Até agora, 221 foram recapturados - Reprodução

Agora, os presos só podem receber uma pessoa por visita, na faixa entre 18 e 60 anos. Estão mantidas as proibições de pessoas com sintomas de gripe e resfriado ou indicativos de alguma doença.

Os funcionários farão medição de temperatura dos visitantes.

O governo prepara uma resolução adicional com relação aos funcionários mais velhos e com problemas de saúde. O documento deve ser divulgado ainda nesta quinta.

Nos presídios onde aconteceram rebeliões na última segunda (16), as visitas estão suspensas.

O sindicato dos agentes penitenciários de São Paulo ingressou com um pedido de suspensão total de visitas de presos e, também, de afastamento de funcionários com mais de 60 anos e com algum problema de saúde crônico. O pedido ainda não foi analisado.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.