Descrição de chapéu Coronavírus

Governo de SP quer diminuir quarentena de 14 para 10 dias, diz Uip

Médicos constataram evolução da doença em período mais rápido do que o esperado

São Paulo

A equipe de combate ao coronavírus no estado de São Paulo deve sugerir ao governo federal a mudança do período de quarentena, de 14 para 10 dias.

A conclusão foi tomada por médicos que vêm acompanhando a evolução dos casos de coronavírus no estado de São Paulo. Isso influenciaria, inclusive, no período que os profissionais da saúde teriam que ficar afastados em caso de contato com infectados.

"Nós vamos sugerir ao Ministério da Saúde que mude o critério do tempo da quarentena, que diminua de 14 para 10. Faz toda diferença no impacto da força de trabalho da saúde", disse Uip. O homem de 62 anos que morreu em São Paulo começou a ter sintomas no dia 10 e morreu no dia 16.

A decisão se deve à constatação da rápida evolução da doença nos casos no estado de SP, que concentra a maioria dos infectados confirmados. "O que nós imaginávamos do período de incubação de até 14 dias, nós estamos vendo que o período de incubação é mais curto. A média é de 3 a 8 dias", disse.

O Uip afirma que a preocupação com esses profissionais que têm lidado diretamente com pacientes infectados e adoecido em outros países. Nesses locais, devido à quarentena, muitos têm ficado em casa e desfalcado o corpo clínico das unidades de saúde.

O governo deve distribuir em breve protocolos com recomendações sobre como agir no tratamento ao coronavírus.

O secretário de Estado da Saúde de SP, José Henrique Germann, e o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip
O secretário de Estado da Saúde de SP, José Henrique Germann, e o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, falam durante uma coletiva sobre a primeira morte provocada pelo covid-19 em São Paulo - Reprodução/GloboNews

"Estamos muito, muito preocupados com os profissionais da área da saúde. Existem recomendações muito claras para os profissionais da saúde. As regras de proteção tem que ser muito rígidas", afirmou.

Uip afirmou que o governo estuda utilizar hospitais apenas para atender pacientes de coronavírus. Segundo ele, há casos de unidades prontas, sem uso, que poderiam incorporar leitos de UTI.

"Inicialmente, impactou o sistema privado. É questão de dias, horas para impactar o sistema público", disse o infectologista David Uip, que coordena os trabalhos contra o ​coronavírus em São Paulo.

Além de aumentar as vagas de UTI, o governo pretende aumentar a quantidade de testes. "Nós entendemos que é adequado tentar ampliar os centros de diagnóstico. Mas insisto: existe o mundo ideal e o real. O mundo ideal é fazer exames para todo mundo, isso não é real", afirmou Uip.

De acordo com ele, no entanto, por enquanto continuarão sendo feitos exames em casos mais graves.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.