Descrição de chapéu Coronavírus

Com música ao vivo, shopping catarinense reabre as portas

Funcionários relatam desconforto com pedido do shopping para bater palmas

Porto Alegre

Depois que o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), permitiu a reabertura dos shoppings, clientes foram recebidos com música ao vivo e palmas dos lojistas nesta quarta-feira (22), no Neumarkt Shopping, em Blumenau, a 91 km de Florianópolis, no Vale do Itajaí.

Adultos, crianças e idosos usando máscaras entraram no estabelecimento ao som de um saxofonista. A portaria catarinense, entretanto, proíbe “shows, apresentações e similares, que possam gerar aglomeração de pessoas” nos estabelecimentos comerciais. O shopping estava fechado havia cerca de um mês.

Funcionários de diferentes lojas relataram à Folha que foram chamados pelo shopping para participar das palmas para a reabertura e se sentiram desconfortáveis com a iniciativa. Procurada, a administração do shopping disse ter tomado os devidos cuidados sanitários.

"Reabrimos nossos shoppings aplaudindo as pessoas no horário da abertura. Foi uma forma carinhosa de demonstrar o respeito que temos pelos nossos clientes", afirmou o shopping, por meio de sua assessoria de imprensa.

De acordo com o shopping, um produto importado dos Estados Unidos que "elimina até 99,99% dos micro-organismos" foi aplicado nos ambientes frequentados pelos consumidores.

No entanto, mesmo que superfícies sejam higienizadas o novo coronavírus pode ser transmitido de uma pessoa infectada (mesmo que assintomática) a outra quando se encontram em proximidade.

No primeiro dia de retorno as atividades, segundo a assessoria de imprensa do shopping, o movimento "esteve 100% dentro dos padrões estabelecidos". Nem todos gostaram. “Não bati palma. Não é o momento de bater palma para cliente. Estamos no meio de uma pandemia”, opinou uma vendedora, que preferiu não se identificar.

Clientes entram no shopping Neumarkt, recebidos com palmas - Reprodução/Twitter

Um vídeo gravado dentro do shopping, antes de as portas serem abertas, mostra os funcionários batendo palmas. É possível ver os consumidores do lado de fora aguardando a reabertura do local. Quando as portas se abrem, os corredores logo ficam tomado por pessoas.

“Por tudo o que está acontecendo com a Covid-19, é um movimento parecido com o normal. Mas na loja propriamente dita não está bom, não se reflete em vendas”, relatou uma gerente.

A funcionária relatou não se sentir segura em relação a um possível contágio pelo novo coronavírus. “Estamos em risco. Preferia que as pessoas que viessem fossem por necessidade, para comprar e não para passear. Parecem cansados de ficar em casa e vieram passear. Eu só saio de casa se preciso”, contou ela, que preferiu não se identificar para evitar represálias.

A percepção de que o movimento era por passeio e não por compras é compartilhada por outra vendedora. “Ao entrar no carro que chamei por aplicativo, fiquei bastante impactada. O motorista era de grupo de risco, estava sem máscara e me falou que Blumenau não sobrevive sem shopping. Ele disse que contava os minutos para ir ao shopping."

Santa Catarina tem 1.091 casos confirmados e 37 mortes por Covid-19, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com a prefeitura de Blumenau, são 98 pacientes com a doença na cidade.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.