Descrição de chapéu Coronavírus

Comércios reabrem na quarta (10) na capital paulista; shoppings devem abrir na quinta (11)

Lojas de rua poderão funcionar das 11h às 15h; imobiliárias também conseguiram autorização

São Paulo

O comércio de rua e as imobiliárias foram autorizados a reabrir na capital paulista a partir desta quarta (10). Shoppings devem ser autorizados a abrir a partir de quinta (10).

De acordo com a gestão Covas, a prefeitura assinou um termo de compromisso com 27 entidades representativas de imobiliárias e do comércio de rua.

O comércio poderá funcionar entre as 11h e as 15h. Já as imobiliárias podem funcionar por quatro horas, desde que o horário de abertura e fechamento não coincida com o horário de pico. O objetivo das medidas é não sobrecarregar o transporte público.

“A expectativa agora é de que amanhã a gente também consiga assinar com o setor de shopping centers para que também possam voltar a funcionar a partir de quinta-feira e, com isso, já teremos assinado com cinco setores”, afirmou o prefeito.

Os shoppings devem voltar na véspera do Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho.

A capital paulista se encontra na fase laranja de reabertura, que permite o funcionamento desse tipo de comércio. Na capital, porém, a reabertura depende de autorização por parte da prefeitura, após análise de protocolos setoriais.

No caso do comério, a assinatura se deu com entidades como a Associação Comercial de São Paulo. E em relação a imobiliárias, entre os signatários está o Secovi (sindicato que representa o mercado imobiliário).

Atualmente, lojas, concessionárias e escritórios já conseguiram esta autorização.

Para conseguir reabrir, segundo a prefeitura os locais comprometeram-se com "medidas de distanciamento social, higiene, sanitização de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, compromisso para testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes, horários alternativos de funcionamento, redução do expediente, sistema de agendamento para atendimento, protocolo de fiscalização e monitoramento do próprio setor (autotutela) e esquema de apoio para colaboradores que não tenham quem cuide de seus dependentes incapazes no período em que estiverem fechadas as creches, escolas e abrigos —especialmente as mulheres que são mães".

A prefeitura recebeu 107 propostas de protocolos sanitários de entidades setoriais.

De acordo com o prefeito, com a assinatura do protocolo para a abertura dos shoppings, os cinco setores que poderiam abrir na atual classificação já terão autorização para funcionar.

Covas afirmou que a prefeitura continuará usando os 2.000 fiscais das subprefeituras para verificar o cumprimento dos protocolos, mas que conta com as entidades setoriais para fiscalizar seus associados.

A expectativa na gestão Covas é de que a cidade possa avançar na classificação do governo João Doria (PSDB), passando para a fase amarela, que permite outras atividades, como bares e salões de beleza. A gestão estadual costuma falar sobre a revisão dos protocolos às quartas.

A administração municipal tem sustentado que a capital vem tendo estabilização de casos. Para isso, cita diminuição em indicadores como o de ocupação de UTI, que chegou a 63%, após já ter ultrapassado 90%, além da diminuição de pedidos de internação no setor intensivo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.