Maguito Vilela terá velório a céu aberto e despedida em sistema drive-thru

Prefeito de Goiânia estava internado havia 83 dias e morreu por complicações da Covid-19

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Cleomar Almeida
Goiânia

O governador Ronaldo Caiado (DEM) decretou luto oficial de três dias pela morte do prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), e anunciou a realização de um velório a céu aberto e com despedida em sistema drive-thru.

Maguito Vilela, 71, morreu na madrugada desta quarta-feira (13) por complicações da Covid-19. Ele ficou internado por 83 dias, período que incluiu parte da campanha eleitoral para a prefeitura de Goiânia, período de transição e o início de seu mandato. O prefeito em exercício, Rogério Cruz (Republicanos), deve assumir a administração da capital oficialmente.

Em cerimônia de arriamento de bandeira, Caiado disse que o velório de Maguito será realizado em uma tenda instalada na Praça Cívica, em frente ao Palácio das Esmeraldas, sede do governo do Estado.

A população poderá fazer a despedida em sistema drive-thru, para se aproximar da urna sem sair do carro. O governador disse que esse formato permitirá realizar o velório com segurança, respeitando as orientações das autoridades sanitárias sobre distanciamento social.

​Maguito foi eleito prefeito no segundo turno com 52,6% dos votos e derrotou o senador Vanderlan Cardoso (PSD). No dia 1º de janeiro, ele havia tomado posse dentro da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Israelita Albert Einstein, por meio de certificação digital. Horas depois, sua equipe solicitou licença para que ele continuasse o tratamento de saúde, e o vice assumiu como prefeito em exercício.

Em nota, o governador Ronaldo Caiado lamentou a morte de Vilela e defendeu a legitimidade da eleição do prefeito de Goiânia.

“Hoje, a cidade de Goiânia perde muito. Perde um gestor experiente, preocupado com os mais necessitados e com apurado senso de Justiça [...] Manifestamos nossa solidariedade e condolências à população de Goiânia e a todos os demais moradores de nosso estado que, certamente, sofrem com a partida do prefeito legitimamente eleito", afirmou Caiado.

Maguito Vilela, Goiânia, Goiás . Foto: Divulgação

Apesar de ter apoiado nas eleições o adversário de Maguito, Caiado reconheceu o resultado das urnas e, na última quinta-feira (7), chegou a exonerar o assessor especial do governo Paulo Daher (PMN), depois que ele protocolou duas ações na Justiça Eleitoral para pedir a cassação do diploma de Maguito e do vice-prefeito.

Ex-vereador de Goiânia, Daher alegou na Justiça suposta fraude na eleição municipal já que, segundo ele, a campanha de Maguito teria divulgado informações falsas sobre seu estado de saúde. Durante a campanha, Vanderlan chegou a questionar as mesmas informações, em entrevista à imprensa, mas depois recuou e pediu perdão por causa da repercussão negativa.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, Vanderlan lamentou a morte de Maguito. “Meus sentimentos à família do prefeito licenciado. Goiânia perde um grande gestor. Goiás e o Brasil perdem um grande político, e nós perdemos um grande amigo”, acentuou.

Caberá a Rogério Cruz assumir a prefeitura de Goiânia oficialmente e superar a barreira de ser pouco conhecido pelos eleitores, apesar de ter sido vereador por dois mandatos. Pastor licenciado da Igreja Universal, Cruz nasceu em Duque de Caxias (RJ) e teve atuação pouco expressiva no parlamento.

A morte do prefeito gerou consternação entre seus familiares, que sofrem a terceira perda na família em decorrência do novo coronavírus. No ano passado, duas irmãs de Maguito haviam morrido por complicações da Covid-19 em um intervalo de nove dias.

Presidente estadual do MDB e filho de Maguito, o ex-deputado federal Daniel Vilela publicou, em uma rede social, a foto de seu pai de costas caminhando em sua fazenda, em Jataí, onde nasceu, a 300 quilômetros de Goiânia: “Hoje, infelizmente, meu melhor amigo morreu”, disse.

Autoridades prestaram homenagens na manhã desta quarta-feira (13). Cruz manifestou solidariedade a familiares e amigos de Maguito e disse que está à frente de uma grande responsabilidade na administração de Goiânia.

"O que dizer de um homem simples, de coração puro, de um caráter ilibado e que sonhou com 'linda Goiânia' expressa em folhas de papel?", perguntou. “Me deixa uma grande responsabilidade de fazer Goiânia seguir em frente juntamente com uma equipe de excelência”, afirmou.

Ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) também prestou homenagem ao seu colega de partido. “Um homem público notável, pai, esposo, filho e irmão exemplar. Deixa um legado que nos orgulha. Se despede deixando uma história digna", afirma.

O vice-presidente Hamilton Mourão lamentou a morte de Maguito e destacou a atuação dele como político. “Conheci Maguito. Uma liderança expressiva no estado de Goiás e também a nível nacional. Muito bem conhecido. Lamento profundamente o falecimento dele”, afirmou.

O presidente nacional do MDB, o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), destacou, em nota de pesar, a trajetória do prefeito. “Maguito defendeu causas sociais e mais oportunidades para os mais pobres”, afirmou, em um trecho.

Em uma rede social, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que hoje é “dia triste pela partida precoce do amigo Maguito Vilela”. “Um dos líderes mais experientes que já tive a chance de conhecer”, afirmou.

Maguito foi deputado constituinte, governador de Goiás, senador, presidente nacional da sigla e prefeito de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. O sepultamento será realizado em Jataí, no jazigo dos pais e ao lado de um filho que morreu ainda bebê, como desejava Maguito.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), divulgou nota de pesar na manhã desta quarta-feira, na qual ressalta o histórico do político e o descreve como um "grande brasileiro"

"Dia especialmente triste para Goiás. O prefeito de Goiânia, Maguito Vilela, perdeu a batalha para a Covid, depois de lutar bravamente contra as complicações decorrentes da doença", afirma o texto.

​"Foram 45 anos de vida pública. Quase meio século de serviços prestados. Um grande brasileiro. Uma grande perda. Meus sinceros sentimentos à família, aos amigos, aos goianos e aos admiradores de Maguito por todo o Brasil", completa Alcolumbre.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.