Descrição de chapéu Rio de Janeiro

'Milícia não vai construir mais porcaria nenhuma nessa cidade', diz Paes após prédio desabar no Rio

Prefeito prometeu combater irregularidades na área habitacional

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), afirmou na manhã desta quinta-feira (3) que não permitirá que criminosos construam mais imóveis no município. Paes fez a promessa enquanto acompanhava os trabalhos de resgate de vítimas do desabamento de um prédio de quatro andares na zona oeste da cidade.

O caso ocorreu durante a madrugada na comunidade de Rio das Pedras, deixando pelo menos um homem e uma criança mortos. Quatro pessoas ficaram feridas.

“Comigo, milícia não vai construir mais porcaria nenhuma nessa cidade. Estamos demolindo permanentemente, e a gente tem o desafio de cuidar do passivo”, disse o prefeito.

Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, a construção que desabou nesta madrugada era irregular.

A região da tragédia é apontada como ponto de influência de milícias. Paes disse que a atuação de grupos de criminosos não irá impedir novas ações de fiscalização da prefeitura.

A Polícia Civil informou que, segundo informações iniciais, o imóvel que desabou era antigo e foi erguido há mais de 20 anos por familiares que moravam no local. Sua construção não teria ligação com a milícia.

A Polícia Civil também relatou que montou uma força-tarefa reunindo a 16ª DP (Barra da Tijuca), a 32ª DP (Taquara), a DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) e a Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais) para apurar o desabamento e o possível envolvimento de milicianos em construções irregulares.

Pela manhã, Paes mencionou que a prefeitura vem fazendo operações para impedir irregularidades na área habitacional.

“A gente está deixando uma mensagem muito clara nos últimos meses de que acabou essa história de tanta construção irregular. A gente não tem permitido. Diariamente, a imprensa tem mostrado isso. Agora, é uma realidade da cidade. Não vamos retirar todas as casas de todas as favelas ou comunidades do Rio. O que tem de se fazer é olhar para essas áreas com mais riscos para produzir melhorias habitacionais”, comentou.

Paes ainda disse que a prefeitura prestará auxílio a vítimas do desabamento de Rio das Pedras. O governador do Rio, Cláudio Castro, também esteve no local.

“Estamos trabalhando em conjunto com a Prefeitura do Rio para dar todo suporte às vítimas do desabamento ocorrido nesta madrugada em Rio das Pedras. Nós não mediremos esforços para ajudar no que for necessário”, escreveu Castro em uma rede social.

O desabamento foi registrado entre 3h e 3h30. Testemunhas relataram ter ouvido “estalos” e barulho de explosão.

“A Secretaria Municipal de Habitação informa que a construção que desabou no Rio das Pedras, na madrugada desta quinta, era irregular. A equipe da SMH está no local para prestar o atendimento necessário às famílias”, informa nota divulgada pela Prefeitura do Rio durante a manhã.

Ruas da região foram interditadas para os trabalhos de resgate. Ainda não há informações oficiais sobre as causas do desabamento. Os bombeiros seguiam no local no começo da tarde.

O caso aconteceu na mesma região da tragédia de Muzema, que deixou 24 mortos e sete feridos após dois edifícios ruírem no condomínio Figueiras de Itanhangá, em abril de 2019. A região é dominada por milícias. Os milicianos atuam com grilagem de terras em Rio das Pedras e na comunidade de Muzema.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.