Descrição de chapéu Pós-graduação

Nova regra do MEC permite que empresa ofereça cursos de pós-graduação

Mudança deve beneficiar áreas de direito, gestão e saúde; instituições precisam comprovar excelência

Dante Ferrasoli
São Paulo

O mercado de pós-graduações lato sensu no Brasil deve crescer durante os próximos anos.

Isso é por que em 6 de abril de 2018, o MEC (Ministério da Educação) editou uma resolução que permite que empresas e institutos, públicos ou privados, pleiteiem junto à pasta o direito de ministrar especializações no país.

Até então, esses cursos eram restritos a instituições de ensino que também oferecessem graduação e pós-graduação stricto sensu, além de escolas do governo.

Agora, “instituições relacionadas ao mundo do trabalho de reconhecida qualidade” poderão se credenciar para ofertar cursos de especialização na sua área de atuação.

 

“Vai aumentar a oferta. Instituições cada vez mais especializadas vão oferecer programas de pós-graduação”, diz Marcelo Saraceni, presidente da Abipg (Associação Brasileira das Instituições de Pós-Graduação). 

O efeito no mercado, de acordo com Saraceni, deve começar a ser sentido a partir de 2020, já que o processo de aprovação do MEC dura cerca de dois anos. 

Para conseguir a licença, a organização deve comprovar ao MEC que tem reconhecida qualidade em determinada área. Ela poderá então ofertar programas de pós-graduação lato sensu, mesmo que nunca tenha ministrado outro tipo de curso.

Na prática, o ministério restabelece as normas que eram vigentes antes de 2011, ano em que outra resolução passou a restringir o credenciamento às instituições de ensino superior.

Organizações já credenciadas antes da mudança seguiram oferecendo pós-graduações durante esses sete anos por meio de liminares.

 
É o caso do Instituto Vellini, especializado em ortodontia, que oferece cinco especializações desde 2005.

“Esses polos de excelência, como o nosso instituto, são importantes porque desenvolvem muita tecnologia para investir em uma área específica e também para capacitar profissionais”, afirma Flávio Vellini, diretor-presidente do instituto. 

Segundo Saraceni, a expectativa é que instituições principalmente das áreas de direito, gestão e saúde se aproveitem da nova regulamentação. Em menor escala, a área de tecnologia da informação também deve crescer.

A mudança não significa, porém, que qualquer empresa ou instituto poderá abrir programas de especialização se assim desejar. 

“Os critérios para credenciamento do MEC são e continuarão sendo bem rigorosos”, afirma Saraceni.
A nova regulamentação também traz duas outras alterações importantes.

Primeiro, extingue a obrigatoriedade dos trabalhos de conclusão de curso (TCCs). Além disso, reduz o número necessário de professores com mestrado ou doutorado —de metade para um terço. 

“É um jeito de privilegiar a experiência prática dos professores”, diz Saraceni.

Conheça as novas regras das especializações

COMO ERA
Apenas instituições que oferecessem curso superior e pós stricto sensu, além de escolas de governo, poderiam oferecer cursos de pós-graduação lato sensu

Especializações precisavam, necessariamente, ter um trabalho de conclusão de curso (TCC)

Metade dos professores dos programas de pós-graduação teriam de ser mestres ou doutores

COMO FICOU 
Instituições públicas ou privadas com “reconhecida qualidade em determinada área” podem pleitear o credenciamento junto ao MEC, que pode ou não aprovar o pedido

Não há mais exigência de TCC

Número necessário de mestres ou doutores por curso cai para um terço, o que privilegia a experiência dos profissionais


Tipos de pós-graduação

MBA - MASTER OF BUSINESS ADMINISTRATION
Programas lato sensu, para profissionais da área de negócios
 Duração Mínimo de 360 horas (18 meses)
 Área Cursos concentrados nas áreas de gestão, negócios e marketing


ESPECIALIZAÇÃO
Cursos lato sensu, para quem procura se aprofundar em algum aspecto da carreira ou procura um complemento para a formação
Duração Mínimo de 360 horas (18 meses)
Área Há oferta para praticamente todas as áreas do conhecimento


ESPECIALIZAÇÃO A DISTÂNCIA
Cursos lato sensu, mas com pelo menos 70% do conteúdo oferecido de forma on-line
Duração Mínimo de 360 horas (18 meses)
Área Há oferta para diversos campos, mas concentração nas áreas de gestão e pedagogia


MESTRADO ACADÊMICO
Modalidade stricto sensu em que o aluno se aprofunda sobre tema de sua área. Para quem deseja seguir carreira acadêmica ou trabalha com pesquisa e inovação
 Duração 2 anos
 Área Todos os campos do conhecimento


MESTRADO PROFISSIONAL
Procura relações mais diretas com o mercado de trabalho. Para quem quer se aprofundar em um tema, voltado para a aplicação prática
Duração 2 anos
 Área Pedagogia, administração e carreiras multidisciplinares


DOUTORADO
Programa stricto sensu, com forte viés de pesquisa acadêmica e inovação. Profissionais com esse título geralmente estão na prática docente ou trabalham com pesquisa
 Duração 4 anos
 Área Todos os campos do conhecimento 

PÓS-DOUTORADO
Programa de pesquisa para doutores que buscam continuar se aperfeiçoando em sua área de atuação, com ou sem bolsa
 Duração Variável. A Capes oferece bolsas renováveis por até 60 meses (cinco anos)
 Área Diversas

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.