Descrição de chapéu Pós-graduação

Liberação da maconha medicinal inspira novos programas de pós-graduação

Cursos oferecem formação para o uso de terapias com o princípio ativo

Andrea Vialli
São Paulo

A regulamentação do uso medicinal da maconha pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em dezembro passado movimentou não apenas a indústria farmacêutica como também o setor de ensino superior. Começam a surgir cursos sobre o canabidiol voltados a profissionais da área da saúde

A Unifil, de Londrina (PR), oferecerá neste ano a primeira pós-graduação em medicina canabinoide no país. O curso pretende fornecer a médicos e outros profissionais da área formação para o uso de terapias com o princípio ativo. 

O curso foi idealizado pelo médico urologista César da Câmara Segre, que já vinha ministrando workshops sobre o uso medicinal da maconha, sempre com sala lotada. 

Os alunos conhecerão as etapas de produção, seleção das plantas, formas de extração e produção dos óleos essenciais, além de embasamento teórico sobre a química dos compostos e sua aplicação prática baseada em estudos científicos já desenvolvidos na área. As aulas, presenciais, começam em 8 de agosto.

“A intenção é formar profissionais e lideranças sobre medicina canabinoide no país e, ao mesmo tempo, desmistificar o tema, combatendo preconceitos que existem até na área médica”, diz Segre. 

O especialista afirma estar em negociação para oferecer o curso em outras duas universidades privadas, além de um hospital de São Paulo.

Inscrito na pós-graduação, o cirurgião dentista Fernando Taddeo estuda a aplicação dos canabinoides na odontologia, em pacientes com lesões na boca, bruxismo e câncer. 

Os dentistas ficaram de fora da regulamentação da Anvisa, que prevê a venda dos produtos mediante prescrição médica —o que deverá ser alvo de uma mobilização da classe junto aos órgãos reguladores. 

“Quanto mais conhecimento sobre o tema, mais os tabus tendem a cair”, afirma Taddeo.

Também inscrito no curso, o cardiologista Pablo Antunes já havia feito aulas sobre maconha medicinal. “O Brasil está atrasado na questão, mas os cursos que estão surgindo vão contribuir para a produção científica na área”, diz.

A Estácio criou um curso de extensão universitária na Faculdade de Medicina voltado para profissionais e estudantes da área de saúde. 

O currículo visa promover a troca de experiências entre médicos que já prescrevem o medicamento em áreas como neurologia e psiquiatria. 

“O programa foi desenhado para os profissionais discutirem aspectos técnicos, farmacológicos, aplicação clínica, evidências científicas e legislação, por meio de apresentação de casos clínicos e debates”, diz Silvio Pessanha Neto, gestor nacional do curso de medicina da Estácio. 

O primeiro curso foi realizado em São Paulo, em novembro de 2019, com alta procura. A universidade programa novas turmas para breve, em locais a serem definidos.

Onde estudar

Aperfeiçoamento em aplicações dos canabinoides na medicina
Onde: Universidade Estácio
Modalidade: Presencial
Duração: 8 horas
Valor: R$ 1.450
Site: extensao.estacio.br

Pós-graduação em medicina canabinoide
Onde: Unifil
Modalidade: Presencial, com aulas aos finais de semana
Duração: 360 horas/aula, com duração de 18 meses
Valor: R$ 18.900
Site: eventbrite.pt/e/bilhetes-pos-graduacao-em-medicina-canabinoide-86850246425

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.