CPFL Energia apoia projetos que promovem eficiência energética em comunidades

Aplicativo de educação financeira e iniciativa que capacita mulheres em serviços de elétrica foram beneficiados

São Paulo

Quatro iniciativas com soluções inovadoras em educação financeira, empoderamento feminino e economia circular foram apoiadas pelo CPFL na Comunidade, programa da CPFL Energia, nas cidades de Campinas, Ribeirão Preto e São Vicente.

As ações têm como objetivo promover a eficiência energética em comunidades de baixa renda localizadas nas áreas de concessão das distribuidoras do grupo.

Uma das beneficiadas foi a Se Vira, Mulher. Com foco em capacitar mulheres para empreenderem em serviços de manutenção elétrica residencial, a iniciativa saiu do papel em 2020 com apoio do CPFL na Comunidade.

“É uma ação que vem sendo sonhada desde 2018”, diz Thais Nobre, CEO da Se Vira, Mulher. Elétrica, hidráulica, marcenaria e mecânica automotiva são alguns dos cursos oferecidos.

“Elas conseguem identificar problemas na rede elétrica de suas casas, fazer pequenos reparos sozinhas e podem oferecer esses serviços para obter renda”, afirma Nobre.

O programa da CPFL buscou apoiar soluções que contribuem para reduzir desigualdades sociais no país. O Se Vira, Mulher, que atendia majoritariamente mulheres de classe média, ajustou o foco para atender outros públicos.

"Trabalhar para levar conhecimento e geração de renda para mulheres de periferia é um verdadeiro privilégio", comenta Edna Braga, sócia da iniciativa.

Outros três projetos foram apoiados: o aplicativo de educação financeira Poupa Certo, o projeto de economia circular Biocicla e a Barkus Educacional, que capacita mulheres para a educação financeira com viés de eficiência energética e inadimplência.

Os sócios Bia Santos e Marden Rodrigues adaptaram o curso da Barkus para o Whatsapp com apoio do programa. Eles contam que sentiam falta de cursos e iniciativas que abraçassem suas necessidades.

Bia Santos, CEO da Barkus Educacional, e Marden Rodrigues, CPO
Bia Santos, CEO da Barkus Educacional, e Marden Rodrigues, CPO - Divulgação / Barkus Educacional

"Viemos do subúrbio do Rio de Janeiro e a educação financeira mudou nossas vidas", diz a CEO Bia Santos. "Sou mulher negra, busco representatividade em tudo que realizo e poder compartilhar esses conhecimentos e práticas com outras pessoas como eu é recompensador".

Os selecionados receberam R$ 200 mil –divididos entre eles– para implementação, suporte e mentoria da CPFL e do Quintessa, aceleradora de negócios de impacto.

“Nosso objetivo é criar formas de apoiar comunidades levando informações e conhecimento para uma energia econômica, eficiente e sustentável”, afirma Felipe Henrique Zaia, gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia.

Projetos que envolvem população de baixa renda, nas comunidades onde a companhia atua, estão sempre no radar do grupo, segundo Zaia.

Para Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa, a ação deixa um legado positivo para a população. “Une alto grau de inovação e geração de impacto ao mesmo tempo em que fortalece as organizações sociais locais", diz.

O sentimento de poder e confiança que mulheres ganham durante as aulas da Se Vira, Mulher também fazem parte do impacto conquistado, segundo Thais Nobre. “Quando elas montam os circuitos elétricos e observam tudo funcionando ao final, isso desperta a segurança de que elas são realmente capazes de fazer aquilo."

A CPFL Energia investiu, em 2020, R$ 164 milhões em projetos de eficiência energética nas cidades de sua área de atuação, conforme aprovado pela Aneel.

Os projetos desenvolvidos pouparam cerca de 40 mil mWh, energia suficiente para abastecer, aproximadamente, 17 mil residências por um ano. A energia economizada evita a emissão de 2.825 toneladas de CO2, o que equivale ao plantio de cerca de 17 mil árvores.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.