'É questão de vida ou morte na favela', diz líder de Heliópolis sobre alta nos alimentos e queda nas doações

Iniciativa concorre na Escolha do Leitor em que público poderá, além de votar em suas preferidas, doar para ações de enfrentamento à Covid-19

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Com a cesta básica 33% mais cara e a subida de preços dos alimentos na pandemia, o brasileiro precisou fazer escolhas na gôndola do supermercado. Para quem já vivia com orçamento apertado, caso de moradores de Heliópolis, em São Paulo, trata-se de sobrevivência.

“Vai além de passar fome, é questão de vida ou morte na favela”, diz Cleide Alves, 56, presidente da União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região (Unas).

Na primeira fase da Covid-19, há um ano, os moradores da maior favela da cidade contaram com uma onda de solidariedade. O vínculo fortalecido com organizações como o Instituto Coca-Cola Brasil (ICCB) fez chegar rapidamente cestas básicas, álcool em gel, sabonete, cartazes, entre outras doações, para 220 mil pessoas.

As ações do Fundo Estamos Nessa Juntos, criado pelo ICCB, mobilizaram mais de R$ 13 milhões em ações de conscientização, proteção e saúde e segurança alimentar em regiões vulneráveis de 21 estados mais o Distrito Federal.

A iniciativa uniu Instituto Coca-Cola, Unas Heliópolis, Gastromotiva e Instituto Phi e foi finalista no Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19.

No repique da pandemia e com o país inteiro em situação economicamente frágil, o caixa da Unas está vazio. “Em fevereiro recebemos 300 cestas”, afirma Cleide.

Neste ano o Instituto Coca-Cola se voltou ao Amazonas, onde o colapso sanitário chegou mais cedo. “Estamos focados na ajuda ao combate à situação grave causada pela pandemia no Norte do país”, diz Daniela Redondo, diretora executiva do instituto, que destinou 15 mil cestas básicas e botijões de gás ao Amazonas. O público-alvo são famílias em situação de vulnerabilidade e entidades sociais em Manaus e no interior do estado.

Quem também sente os efeitos da inflação é David Hertz, 46, chef fundador da ONG Gastromotiva. Ele transformou o espaço físico do restaurante que tinha na Lapa, no Rio de Janeiro, em banco de alimentos que atende mais de 60 organizações.

“Recebemos doações de redes de hotelaria, restaurantes, mercados e pequenos produtores”, diz Hertz. “Com isso distribuímos 365 mil refeições só em 2020”.

Com apoio do Fundo Estamos Nessa Juntos, a Gastromotiva potencializou o projeto Cozinhas Solidárias. As cozinhas dos ex-alunos formados pela ONG se tornaram centrais de produção de quentinhas em 48 comunidades, com geração de renda para os cozinheiros.

“Grande parte da população está vivendo em condições de extrema pobreza e precisamos de ajuda para continuar alimentando essas pessoas”, afirma Hertz.

Para garantir a capilaridade das ações em todo o país, o fundo teve apoio do Instituto Phi, que, além da gestão financeira pro bono, articulou as entregas de doações com as organizações sociais. "O Phi fez chegar ajuda a quem mais precisa de forma ágil, correta e transparente”, conta a diretora Luiza Serpa.

Como finalista na categoria Ajuda Humanitária do prêmio, o Fundo Estamos Nessa Juntos vai à votação popular, concorrendo com outras nove iniciativas na Escolha do Leitor.

O público poderá eleger seu finalista favorito em cada uma das categorias ao longo de três meses, em formato inovador no qual a enquete, no site da Folha, torna-se também plataforma de doação.

COMO VOTAR NA ESCOLHA DO LEITOR

Passo 1 Acesse folha.com/escolhadoleitor2021 e escolha a iniciativa que mais fez seus olhos brilharem

Passo 2 Clique no botão "Quero votar" e aguarde a confirmação

Passo 3 Faça uma doação para uma delas clicando em "Doar agora"

Passo 4 Preencha seus dados, valor da doação e clique em "Enviar"

Os vencedores da Escolha do Leitor, tanto os recordistas de votos quanto os líderes na captação de doações, serão anunciados em um dos eventos de comemoração aos 100 anos do jornal ao longo de 2021.

“O Prêmio Empreendedor Social vem sendo uma importante ferramenta de reconhecimento do nosso trabalho de escuta, de entender melhor as necessidades e de sermos mais assertivos em nossas ações”, diz Daniela Redondo.

As doações obtidas na Escolha do Leitor serão repassadas ao Instituto Phi, Gastromotiva e Unas Heliópolis.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.