Exercício é a melhor forma de prevenir quedas em idosos, diz estudo

Novas diretrizes substituem recomendação antiga de suplemento com vitamina D

Quedas são a principal causa de morte relacionada com lesões entre os maiores de 65 anos, e os idosos que querem evitar cair devem fazer exercícios, em vez de depender de suplementos como a vitamina D, segundo as novas recomendações de especialistas americanos feitas nesta semana.

Idosos se exercitam em residência para terceira idade em São Paulo. Idosos sentados levantam os braços para se exercitar
Idosos se exercitam em residência para terceira idade em São Paulo - Eduardo Knapp/Folhapress

As diretrizes recém-anunciadas são do grupo assessor médico independente US Preventive Services Task Force (USPSTF) e atualizam as que foram publicadas em 2012, quando recomendou-se tomar vitamina D como uma forma de prevenir as lesões relacionadas às quedas. 

A última revisão dos testes clínicos sobre o tema, no entanto, não mostrou nenhum benefício para as pessoas idosas, além de apontar um maior risco de cálculos renais relacionados aos suplementos de cálcio e vitamina D, a menos que uma pessoa tenha deficiência desta substância ou sofra de osteoporose. 

“O USPSTF encontrou evidências adequadas de que tomar suplementos de vitamina D não tem nenhum benefício na prevenção de quedas nos idosos”, diz o texto publicado na revista científica Journal of the American Medical Association (Jama). 

O USPSTF “recomenda intervenções com exercícios para prevenir quedas” nos maiores de 65 anos, mais propensos a este tipo de incidentes.

Os exercícios podem incluir aulas individuais e em grupo supervisionadas e fisioterapia, segundo as novas recomendações.

A atualização se baseou em uma revisão de 11 testes clínicos que contaram com a participação de cerca de 50 mil pessoas. 

O suplemento de vitamina D, puro ou com cálcio, não foi associado a uma menor incidência de fraturas em adultos sem deficiência de vitamina D, osteoporose ou fratura prévia, de acordo com o informe científico. 

Segundo dados mais recentes, de 2014, quase 29% dos adultos americanos de 65 anos ou mais relataram quedas, e quase 38% “precisaram de tratamento médico ou atividade restrita por um dia ou mais”, disse o artigo publicado na revista médica Jama. 

Cerca de 33 mil pessoas morreram nos EUA devido a quedas em 2015.

AFP

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.