Casos de suspeita de infecção por coronavírus no Brasil caem de 14 para 13

Segundo o Ministério da Saúde, não há casos confirmados da infecção no país

Brasília

Balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta terça-feira (4) aponta que caiu de 14 para 13 o número de casos de suspeita de infecção pelo novo coronavírus identificado na China. Não há registros confirmados até o momento. 

Já o número de casos descartados passou de 13 para 16 casos. Os dados correspondem a informações enviadas por secretarias de saúde até as 12h.

Do total de casos em investigação, seis foram registrados em São Paulo, quatro no Rio Grande do Sul, dois em Santa Catarina e um no Rio de Janeiro.

Destes, cinco já tiveram casos descartados para outros tipos de vírus que levam a sintomas respiratórios e passam agora por exames específicos para confirmar se a infecção corresponde ao novo vírus identificado na China ou outro agente não testado. A previsão é que o resultado esteja disponível em até sete dias.

O governo declarou nesta terça-feira emergência em saúde pública por causa do novo coronavírus. A medida visa facilitar o retorno de brasileiros que vivem em Wuhan, epicentro da epidemia, e permitir a adoção de outras medidas para organizar a rede de saúde diante de possíveis casos, como solicitar contratação temporária de profissionais de saúde.   

Chegada de voo da China com passageiros usando máscaras no Aeroporto de Guarulhos (SP)
Chegada de voo da China com passageiros usando máscaras no Aeroporto de Guarulhos (SP) - TheNews2

"Não temos nenhum caso confirmado no Brasil. Mas dado o cenário internacional, entendemos que tínhamos que dar celeridade aos processos", afirma o secretário de vigilância em saúde, Wanderson Oliveira, sobre a declaração de emergência.

A última vez que essa emergência havia sido declarada no país ocorreu em 2015, em meio ao aumento de casos de microcefalia relacionados ao vírus zika.

Uma reunião está sendo realizada na tarde desta terça para verificar como será o transporte dos brasileiros que estão em Wuhan e detalhes da quarentena. Inicialmente, o governo trabalha com a possibilidade de que o grupo seja mantido em uma base militar em Anápolis (GO) por 18 dias. 

Enquanto as ações ainda são definidas, brasileiros que vivem em Wuhan começaram a receber nesta terça um formulário para ser preenchido com informações e condições para retorno ao país --como ausência de sintomas e concordância por quarentena ao chegar no Brasil. Ao menos 15 pessoas já enviaram informações.

A previsão é que os brasileiros fiquem em quarto individual, com exceção de familiares, que poderão ficar juntas no mesmo espaço. Nesse período, visitas serão proibidas.

Equipes também devem aferir dados três vezes ao dia. Também serão coletadas amostras respiratórias no primeiro e no 14º dia, diz o documento, assinado pelo Ministério da Defesa, Saúde e Relações Exteriores.

Nesta terça, também foi enviado um projeto de lei ao Congresso que define medidas a serem adotadas para impedir a disseminação do coronavírus no país, entre elas a quarentena e o isolamento de doentes. 

De acordo com o secretário-executivo do ministério, João Gabbardo dos Reis, o governo poderá analisar outras alternativas para organizar a vinda dos brasileiros caso o projeto não seja aprovado.

"Não vamos criar aqui nenhum tipo de pressão sobre o Poder Legislativo. Temos convicção tanto pelo presidente da Câmara, quanto pelo do Senado, de que o assunto terá prioridade máxima. Não vamos interferir nesse processo, é decisão do Legislativo e vamos aguardar. Mas devemos estar preparados para as duas situações. Se for aprovado, ótimo, se não for aprovado, teremos as nossas alternativas", afirma.

Uma equipe médica está prevista para ir à China avaliar a condição de saúde do grupo. "As pessoas que estiverem doentes, pelo próprio protocolo da China, não poderão embarcar", diz Oliveira. 

Em meio ao alerta sobre o novo vírus, o ministério deve fazer uma reunião nesta quinta-feira (4) com secretarias de saúde estaduais para definir detalhes da organização da rede de assistência e compartilhar informações de planos de contingência caso haja registros confirmados do coronavírus 2019-nCoV.

No mundo, dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que já foram confirmados 20.630 casos de infecção pelo vírus n-cov-2019. Desses, 20.471 ocorreram na China e 159 em outros países. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.