Descrição de chapéu Coronavírus

Número de mortes por coronavírus na Itália ultrapassa o da China e é o maior do mundo

País europeu agora tem 3.405 mortes, contra 3.249 do asiático; mortes por 100 mil habitantes são 5,7, contra 0,23 na China

Bruxelas

O número de mortes por causa do novo coronavírus na Itália ultrapassou o da China nesta quinta (19). Com mais 427 casos em um dia, a Itália tem agora 3.405 mortes. O último dado divulgado pela China foi de 3.249 mortos.

Em número de mortos por 100 mil habitantes, a Itália tem situação muito mais grave que a da China: 5,7, contra 0,23. A média mundial é 0,115 e a da Europa, 0,5 (puxada pelos números italianos). A Espanha registrava 1,3 mortes por 100 mil habitantes na manhã desta quinta, a França, 0,7, e Suíça e Holanda, 0,4.

A Itália é o país mais afetado pela pandemia na Europa, e responde por cerca de três quartos das mortes decorrentes de coronavírus no continente: 4.196 até as 10h desta quinta.

O país é também o segundo em número de casos de infecção no mundo, atrás apenas da China, onde surgiram os primeiros casos, no final de 2019.

O governo italiano colocou o país em quarentena na semana passada, mas isso ainda não conteve o crescimento acelerado tanto de casos quanto de mortes.

Já são 41.035 italianos com contaminação confirmada, um aumento de 14,9% em relação ao dia anterior, a maior alta dos últimos três dias, segundo a agência italiana de proteção civil.

O número de pessoas ainda doentes é de 33.190, dos quais 2.498 estão em estado grave (na quarta, eram 2.257). Recuperaram-se da doença 4.480 pessoas.

Pelos dados divulgados nesta quinta, 8,3% dos casos registrados terminaram em morte, taxa semelhante à registrada na quarta.

​Na quarta-feira (18), o país teve alta recorde para um único dia em um país: foram 475 as pessoas que morreram entre terça e quarta, aumento de 19% em um dia. O país tem enfrentado falta de estrutura para atender aos doentes graves, que precisam de aparelho de ventilação e são os mais propensos a morrer.

Em algumas cidades, os hospitais estão lotados, as unidades de terapia intensiva, sem vaga, e os cemitérios e crematórios têm filas de caixões. ​

No total, mais de 9.000 pessoas já morreram por causa do coronavírus no mundo, e a Europa já registra maior número de mortes que a China.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.