Descrição de chapéu Coronavírus Rio de Janeiro

Mortes no Rio não estavam entre casos confirmados de Covid-19

Governo estadual confirmou duas mortes nesta quinta; país tem 6 casos

Rio de Janeiro

As duas pessoas que morreram no Rio de Janeiro infectadas pelo novo coronavírus não constavam na lista de casos confirmados no estado.

As mortes foram divulgadas nesta quinta (19). Os dois morreram antes de os exames detectarem o novo coronavírus no organismo.

No caso da empregada doméstica Cleonice Gonçalves, 63, morta em Miguel Pereira (a 115 km da capital), o material só foi encaminhado ao laboratório após sua morte.

A vítima trabalhava no Alto Lebon, bairro nobre do Rio de Janeiro, na casa de uma mulher que viajou à Itália (país europeu mais assolado pelo vírus) e teve a doença confirmada.

A doméstica era diabética e hipertensa e apresentou os sintomas no domingo (15). Moradora do distrito Governador Portela, em Miguel Pereira, chegava aos domingos à casa da patroa, onde trabalhava de segunda-feira à quarta-feira. Na segunda (16), segundo relato de amigos e parentes, ela passou mal e, por sugestão da empregadora, voltou para Miguel Pereira.

Um taxista de Miguel Pereira foi chamado para levá-la de volta à cidade. Ela chegou às 18h ao hospital municipal Luiz Gonzaga. Sem informação prévia de contato com paciente da Covid-19 e com histórico de infecção urinária, passou por triagem com demais pacientes e foi acomodada na enfermaria.

Há nove pacientes com suspeita de contágio por coronavírus. Cleonice morava com duas irmãs e um irmão. A doméstica deixa um filho e um neto, que não moravam com ela.

Segundo a secretária de Saúde de Miguel Pereira, Camila Miranda, a paciente deu entrada no hospital com queixas de infecção urinaria, mal-estar, falta de ar e alterações no sistema glicêmico.

Só na manhã seguinte, ao ser informado o contato dela com a patroa, Cleonice foi submetida a exame para detecção do coronavírus. Ela morreu por volta das 13h. Foi sepultada nesta quinta-feira (19).

Na rede social, sua sobrinha queixou-se de falta de empatia da patroa.

Às 16h05 de terça-feira (17), a Prefeitura de Miguel Pereira revelou sua morte nas redes sociais. Horas depois, o material foi encaminhado para análise pelo Lacen (Laboratório Central Noel Nutels). O teste deu resultado positivo para coronavírus.

No caso do homem de 69 anos, o material para análise foi encaminhado ao laboratório seis dias após sua internação em um hospital particular na cidade de Niterói e horas antes de sua morte.

O material foi encaminhado na tarde de terça-feira (17). Segundo boletim do hospital onde estava internado, ele faleceu às 19h08.

A vítima teve contato com o enteado que, ao voltar de uma viagem aos Estados Unidos, recebeu resultado positivo de teste para detecção do novo coronavírus.

O idoso passou mal na quarta-feira (11). Internado em um hospital particular no bairro de Icaraí, foi submetido a intubação orotraqueal e colocado em ventilação mecânica.

Segundo a assessoria de imprensa do Rio, a vítima era diabético e hipertenso.

Ao menos seis pessoas morreram no Brasil em decorrência do covid-19. Quatro óbitos foram registrados em São Paulo entre terça e quarta-feira.

De acordo com o governo, até o momento o Rio registra 65 casos, distribuídos nas seguintes cidades: Rio de Janeiro (55), Niterói (7) Barra Mansa (1), Miguel Pereira (1) e Guapimirim (1).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.