Descrição de chapéu Coronavírus

Clube Hebraica, em São Paulo, faz mais de mil testes para coronavírus em três dias

Iniciativa é parceria com o Hospital Albert Einstein

São Paulo

Um dos principais clubes da cidade de São Paulo, a Hebraica disponibiliza exames de coronavírus para seus associados. Em três dias de testes, até esta terça-feira (28), o clube já havia atendido mais de mil sócios.

A iniciativa é fruto de uma parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein, que, assim como o clube, também tem forte ligação com a comunidade judaica.

Os testes são do tipo sorológico (o chamado teste rápido) feitos com amostra de sangue e realizados em drive thru, ou seja, o sócio não precisa sair do carro. Quem tiver interesse precisa se cadastrar e realizar o agendamento, tudo por meio de um formulário na internet. Os horários vão das 9h às 17h e o serviço é exclusivo para sócios.

“As pessoas se sentem mais seguras fora do ambiente de um hospital, por isso resolvemos fazer dentro do clube”, disse o presidente da Hebraica, Daniel Bialski.

A única limitação é para crianças abaixo de 12 anos. Neste caso, o próprio hospital tem um serviço para fazer o teste na casa da pessoa.

A estrutura para realização dos exames foi montada no estacionamento . Os médicos são todos cedidos pelo hospital, enquanto a equipe logística (segurança, coordenadores e apoio, por exemplo) é do clube.

O clube está fechado desde o dia 18 de março após suspender eventos e outras atividades. Concomitantemente, também o fez o vizinho Clube Pinheiros; a secretaria de esporte e lazer da prefeitura de São Paulo adotou a mesma medida, no mesmo dia, com os espaços públicos.

Exames para coronavírus na Hebraica são feitos dentro do carro
Os exames para coronavírus na Hebraica são feitos dentro do carro - Divulgacao

A coleta de sangue é feito no local e a amostra é enviada ao hospital. O resultado sai em até 48 horas. O clube, que tem cerca de 18 mil sócios, tem a capacidade de fazer 500 testes por dia.

“Enquanto clube, não cobramos nada, as pessoas pagam ao Einstein. Cedemos o espaço e negociamos com o hospital um valor mais acessível, pelas parceria e patrocínios que existem entre os dois”, disse Bialski.

A entidade tem atualmente cerca de 3.000 idosos e espera conseguir fazer de 5.000 a 8.000 exames durante a pandemia. Ainda não há um balanço dos resultados.

O presidente afirmou que já há testes marcados pelo menos até a sexta-feira (1º). Segundo ele, quanto houver demanda, o procedimento seguirá.

“A gente pediu para que sócio que tenha resultado positivo, independente se for assintomático, para que nos comunique, até por precaução. Traz segurança para quando tivermos um plano de abertura parcial e retomada da vida cotidiana da Hebraica”, finalizou Bialski.

Clube Hebraica faz testes de coronavírus
Clube Hebraica faz testes de coronavírus - Divulgacao
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.